Foto mostra Angela Wrightson, mulher de 39 anos que foi torturada em morta pelas adolescentes britânicas (Foto: Arquivo pessoal/Polícia de Cleveland/AFP)
Duas adolescentes britânicas de 15 anos, reconhecidas culpadas de ter assassinado selvagemente uma mulher de 39 anos, depois de torturá-la por cinco horas, foram condenadas nesta quinta-feira à prisão perpétua, com 15 anos de cumprimento mínimo da pena.
As duas meninas, cujos nomes não foram divulgados por razões legais, tinham 13 e 14 anos quando atacaram Angela Wrightson em sua residência em Hartlepool, nordeste da Inglaterra, em dezembro de 2014.
Elas mataram a mulher usando pedaços de pau, um aparelho de TV e outros itens da casa.

A vítima apresentava mais de cem ferimentos, 80 deles no rosto.
Durante o longo calvário de Angela Wrightson, que foi amarrada, as adolescentes posaram, sorridentes, para selfies que foram postadas em redes sociais.

Durante a agressão, uma das meninas, que falava com uma amiga pelo Facebook, que a ouviu dizer: “Anda. Esmaga a cabeça dela.

Bate nela”.
Cinco horas depois, elas chamaram a polícia para “conseguir uma carona para casa”.

Dentro da patrulha, uma delas também postou uma foto no Snapchat com a mensagem: “Eu, no fundo, no camburão de novo”.
“Em nossa sociedade, é difícil imaginar que duas meninas tão jovens sejam capazes de tanta violência”, declarou Gerry Wareham, do serviço forense, ao falar à imprensa na saída do tribunal, definindo o crime como bárbaro.

“Vendo a gravidade do ataque infligido à senhorita Wrightson, poderíamos ter esperado que as meninas expressassem seu remorso depois da morte. Ao contrário, riram e sorriram para selfies”, acrescentou.

As duas adolescentes haviam ido várias vezes à casa de Wrightson para conseguir álcool e cigarros.
.

Fonte: G1