Soldados armênios lançam projétil contra as forças de segurança do Azerbaijão na região de Nagorno-Karabakh, no domingo (3) (Foto: Vahram Baghdasaryan / Photolure / AFP)
O exército do Azerbaijão anunciou nesta segunda-feira (4) a morte de três soldados em confrontos com as forças da Armênia na região de Nagorno Karabakh, onde prosseguem os combates pelo terceiro dia consecutivo.
Esta região pertence ao Azerbaijão, mas os armênios assumiram o controle após uma guerra 1988 e 1994 que matou 30.000 pessoas e deixou centenas de milhares de refugiados, principalmente azerbaijanos.

Os três soldados morreram por “disparos de morteiro e lança-granadas a partir das barricadas”, ocupadas pelas forças armênias, anunciou o ministério da Defesa.
“Se as provocações armênias continuarem, vamos iniciar uma grande operação ao longo da linha de frente e utilizaremos todas as nossas armas”, disse o porta-voz do ministério, Vagif Dargahly.

O ministério da Defesa da região separatista, apoiada pela Armênia, afirmou que as tropas do Azerbaijão “intensificaram nesta segunda-feira os bombardeios sobre as posições do exército em Karabakh, utilizando morteiros de 152 mm, lança-foguetes e carros”.
“As forças armênias avançaram muito em algumas zonas da frente e assumiram novas posições”, declarou o porta-voz do ministério armênio da Defesa, Artsrun Hovhannisyan.

O Azerbaijão rebateu que as declarações eram “falsas” e assegura controlar desde sábado todas as colinas estratégicas de Nagorno Karabakh.
A Rússia e os países ocidentais pediram ao Azerbaijão e a Armênia o fim dos combates, os mais graves desde o cessar-fogo de 1994, e que desde sexta-feira provocaram as mortes de 33 soldados e dois civis em ambos os lados.

.

Fonte: G1