Secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, deu entrevista coletiva em Genebra, na Suíça, nesta segunda-feira (2) (Foto: Fabrice Coffrini / AFP)
O conflito na Síria está “em muitos aspectos fora de controle”, advertiu nesta segunda-feira (2) o secretário de Estado americano, John Kerry, em uma entrevista coletiva em Genebra, na Suíça, na tentativa de salvar a trégua instaurada há dois meses na Síria, segundo a France Presse.Kerry fez a declaração após uma reunião com o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.”Estamos preparando um sistema de controle do cessar-fogo muito melhor.

Teremos pessoas adicionais trabalhando em Genebra, 24 horas por dia, sete dias da semana “, declarou Kerry.
Mais cedo, ele havia declarado que a Rússia e seus parceiros de coalizão estavam “se aproximando de um entendimento”.

Ao mesmo tempo, De Mistura, que se reunirá na terça-feira em Moscou com o chefe da diplomacia russa Serguei Lavrov, afirmou que é preciso “vontade política” para realizar o trabalho.Kerry deve conversar ainda nesta segunda-feira por telefone com o colega russo.

TréguaAs Forças Armadas sírias anunciaram nesta segunda uma ampliação de 48 horas da trégua parcial declarada no fim de abril na região de Ghouta Oriental, na periferia de Damasco.Em comunicado, publicado pela agência de notícias oficial síria, “Sana”, o exército informou da “entrada em vigor de uma ampliação do ‘regime de calma’ em Damasco e Ghouta Oriental por outras 48 horas”, segundo a agência Efe.

Prédio destruído em ataques aéreos em Tariq al-Bab, próximo a Aleppo, no norte da Síria, foi inspecionado no sábado (30) (Foto: Abdalrhman Ismail/ Reuters)AleppoApós um dia relativamente tranquilo no domingo (1º) nos bairros da zona leste de Aleppo, controlados pelos insurgentes, os ataques foram retomados depois da meia-noite, segundo um correspondente da AFP. Vários bairros, incluindo o muito populoso Bustan al-Qasr, foram atingidos.

Até o momento não foi possível determinar se os últimos ataques deixaram vítimas.
Os rebeldes bombardearam com artilharia a zona oeste de Aleppo, controlada pelo regime, e mataram três civis, incluindo uma criança, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Semana passadaOs bombardeios dos últimos dias atingiram o hospital Al-Quds, apoiado pela organização Médicos Sem Fronteiras, deixando 50 mortos. Entre eles, estava o último pediatra que atuava na região.

Na sexta-feira (29), uma clínica médica e uma mesquita.
Neste domingo, o Papa Francisco pediu a todas as partes envolvidas no conflito na Síria que respeitem o cessar-fogo e expressou sua dor profunda ante os combatem que prosseguem, principalmente em Aleppo.

Mais de 250 civis, incluindo 50 crianças, já morreram desde a retomada dos combates em Aleppo (norte) em 22 de abril, a maioria em bombardeios do regime sírio de Bashar al-Assad, segundo a France Presse. O conflito sírio deixou mais de 270.

000 mortos desde 2011.
.

Fonte: G1