Familiares das turistas argentinas mortas no Equador marcham em Montanita (Foto: REUTERS/Manuel Soriano)
Os corpos das turistas argentinas Marina Menegazzo e María José Coni, assassinadas em um balneário equatoriano, foram repatriados nesta quarta-feira (30) para a Argentina, informou Hernán Ulloa, advogado dos familiares.
“Em silêncio, foram repatriados os corpos de #MarinayMajo para Mza (Mendoza)- Arg (Argentina). Meus sinceros pêsames a todos os seus familiares”, escreveu Ulloa em sua conta no Twitter.

Os corpos foram devolvidos à cidade argentina de Mendoza um mês depois de terem sido encontrados com sinais de violência em 28 de fevereiro em Montañita, um balneário 300 km a sudoeste de Quito.
Os corpos de Menegazzo e Coni, de 21 e 22 anos, respectivamente, foram encontrados depois que os familiares das jovens as deram como desaparecidas nas redes sociais.

Ulloa declarou à imprensa que as famílias pediram reserva para fazer o translado dos corpos.
“É preciso muitas fichas para acabar de montar este quebra-cabeça.

Parte disto são as declarações das amigas das vítimas que se separaram em certo momento para ir à sua cidade natal”, expressou Ulloa em declarações difundidas no canal Ecuavisa.
A morte das jovens gerou diferentes versões de autoridades equatorianas e familiares das vítimas na Argentina, que motivaram o presidente Mauricio Macri o envio ao Equador de uma equipe de médicos legistas, com a aceitação das autoridades locais.

Além disso, em cidades argentinas e no Equador foram realizadas marchas para pedir o fim dos feminicídios e o esclarecimento do crime em Montañita.
.

Fonte: G1