Can Dundar, diretor de redação do jornal Cumhuriyet (esquerda), e Erdem Gül, diretor da sucursal de Ancara (direita), chegam ao Palácio de Justiça em Istambul, na Turquia, nesta sexta-feira (1º) (Foto: Osman Orsal/Reuters)
Can Dundar e Erdem Gül, dois jornalistas da oposição turcos, foram condenados nesta sexta-feira por um tribunal de Istambul a, respectivamente, 5 anos e dez meses e 5 anos de prisão em um julgamento emblemático para a liberdade de imprensa na Turquia.
Os dois homens foram absolvidos da acusação de “espionagem”, mas foram condenados por “divulgar segredos de Estado” por revelarem que o governo islâmico-conservador do presidente Recep Tayyip Erdogan forneceu armas a grupos jihadistas na Síria, segundo a imprensa turca.
“Vamos continuar a fazer o nosso trabalho de jornalista, apesar de todas essas tentativas de calar-nos.

Somos obrigados a preservar a coragem em nosso país”, declarou a jornalistas Dundar após o veredicto.
O tribunal de recurso ainda deverá se pronunciar sobre o caso antes da prisão de ambos.

Horas antes da divulgação do veredicto, um homem disparou tiros contra Dündar diante das câmeras na entrada do tribunal, ferindo levemente um jornalista antes de ser preso.ReportagemOs dois jornalistas – que ficaram 90 dias em detenção provisória, até que a Corte Constitucional turca ordenou a libertação – publicaram em maio de 2014 uma reportagem, com fotos e um vídeo, sobre a entrega de armas aos rebeles islâmicos sírios em janeiro de 2014.

O vídeo mostrava caminhões do Serviço Secreto Turco (MIT) repletos de armas.
A matéria provocou a revolta de Erdogan, que desde o início do conflito sírio nega que a Turquia apoie os movimentos radicais contrários ao governo de Bashar al-Assad.

.

Fonte: G1