Homem olha região devastada após terremoto em Portoviejo, no Equador (Foto: Juan Cevallos / AFP Photo)
O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou nesta quarta-feira (20) aumentos temporários de impostos para arrecadar fundos para a recuperação das zonas afetadas pelo terremoto que castigou no último sábado (16) a região norte do litoral do país.
Em mensagem à nação, o governante disse que será estabelecida uma contribuição de dois pontos adicionais no Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) durante um ano e outra, uma única vez, de 3% sobre os lucros, assim como outra de 0,9% “sobre pessoas naturais com patrimônio superior a US$ 1 milhão”.
Correa também disse que determinará a contribuição de um dia de salário para aqueles que ganham mais de US$ 1.

000 mensais.
“Se você ganha US$ 1.

000, contribuirá um dia, por apenas um mês. Se você ganha US$ 2.

000, um dia durante dois meses, até nós, que ganhamos mais de US$ 5.000 e vamos contribuir com um dia durante cinco meses”, explicou o presidente.

O presidente do Equador, Rafael Correa, visita a cidade de Jama, na província costeira equatoriana de Manabí, atingida pelo tremor (Foto: Juan Cevallos / AFP Photo)
Correa acrescentou que colocará à venda alguns dos “muitos ativos” que o país possui, “fruto do investimento de todos esses anos”.
Essas medidas, segundo o presidente, serão adotadas “de acordo com o que a Constituição permite durante o Estado de Exceção”, uma situação que foi decretada na noite de sábado, horas depois do tremor de magnitude 7,8 que deixou pelo menos 570 mortos, segundo o Ministério Público do Equador, além de 5.

733 feridos e 163 desaparecidos.
Correa, que enviou uma mensagem de alento a seus compatriotas, declarou que “esta é a maneira como uma sociedade moderna responde a este tipo de desastre e a forma como cada equatoriano, na medida de suas responsabilidades, contribui para a recuperação de sua própria pátria”.

.

Fonte: G1