Imagem de arquivo mostra Papa Francisco dando as boas-vindas a um grupo de refugiados sírios ao chegar ao Aeroporto de Ciampino, em Roma (Foto: Filippo Monteforte/AFP)
A Europa deve “integrar” os migrantes que chegam ao seu território, mas sem “abrir as portas de forma irracional”, avaliou o Papa Francisco em uma entrevista ao jornal francês “La Croix” que será publicada na terça-feira (17).
Questionado sobre se a Europa pode “acolher tantos migrantes”, o Papa respondeu: “É uma pergunta justa e responsável, porque não podemos abrir as portas de maneira irracional”.
Em 16 de abril, ele visitou a ilha grega de Lesbos, uma porta de entrada para os migrantes na Europa, e retornou a Roma com 12 sírios, um gesto forte em um momento em que a Europa atravessa uma profunda crise migratória.

“Mas a questão básica a se fazer é por que existem tantos migrantes hoje?”, continuou o pontífice.
“O problema inicial são as guerras no Oriente Médio e na África e o subdesenvolvimento no continente africano, que causa a fome”, disse ele, colocando em questão “um sistema econômico mundial que caiu na idolatria do dinheiro”.

No que diz respeito aos migrantes, “o pior acolhimento é o gueto, em vez da integração”, insistiu o Papa Francisco.
“Em Bruxelas, os terroristas eram belgas, filhos de migrantes, mas eles vieram de um gueto.

Em Londres, o novo prefeito (Sadiq Khan, filho de imigrantes paquistaneses e muçulmanos) foi empossado em uma catedral e será provavelmente recebido pela rainha. Isso mostra a importância para a Europa de recuperar a sua capacidade de integração”, disse o pontífice.

.

Fonte: G1