General da reserva, Guo Boxiong confessou ter recebido subornos (Foto: Yuri Gripas/Reuters)
Um ex-general de alta patente que supervisionou o aparato militar chinês e que já havia sido excluído do Partido Comunista está sendo processado por corrupção, anunciou nesta terça-feira (5) a agência de notícias oficial Xinhua citando fiscais do exército.
Guo Boxiong foi, até 2012, vice-presidente da Comissão Militar Central, o máximo órgão de comando do Exército Popular de Libertação.
O general da reserva, de 73 anos, “confessou ter recebido subornos”, informou a agência oficial citando um comunicado de fiscais militares.

Estes últimos “concluíram sua investigação” e iniciaram o processo judicial que deve sancionar o militar, que “aproveitou sua posição para ajudar na promoção e realocação de outras pessoas, e aceitou pessoalmente para si mesmo e sua família gigantescos subornos”, segundo o comunicado citado pela agência.
O general Guo, que já foi investigado em abril do ano passado, é um dos mais altos responsáveis da hierarquia militar chinesa caído na campanha de investigação do APL, o braço armado do partido comunista chinês.

O presidente Xi Jinping, chefe do PCC desde 2012, dirige a Comissão militar central e fez da luta contra a corrupção no exército uma de suas prioridades.
A investigação no seio da alta hierarquia do APL evidenciou um sistema generalizado de gratificações por parte dos oficiais, assim como múltiplos casos de desvio, principalmente no setor imobiliário.

Guo é o quarto membro do antigo Gabinete Político do PCC a cair, após Bo Xilai, ex-promessa do regime, Zhou Yongkang, ex-chefe da segurança chinesa, e o general Xu Caihou.
.

Fonte: G1