A facção do Talibã Jamaat-ul-Ahrar disse que foi a responsável por um ataque a bomba suicida que matou ao menos 65 pessoas na cidade paquistanesa de Lahore neste domingo (27), e afirmou que o alvo do ataque foi a minoria cristã do país, majoritariamente muçulmano.Mulher segura criança que ficou ferida em atentado em parque de Lahore (Foto: Arif Ali/AFP)
“O alvo foram os cristãos”, disse um porta-voz da facção, Ehsanullah Ehsan. “Nós quisemos mandar essa mensagem para o primeiro-ministro Nawaz Sharif, de que nós entramos em Lahore.

Ele pode fazer o que quiser, mas não será capaz de nos parar. Nossos homens-bomba vão continuar com esses ataques”.

Militantes do Islã no Paquistão têm atacado cristãos e outras minorias religiosas com frequência ao longo da última década. Os cristãos acusam o governo do país de poucos esforços para protegê-los.

AtaqueTestemunhas disseram ter visto partes de corpos espalhadas pelo estacionamento quando a poeira baixou após a explosão. O parque estava particularmente movimentado no domingo, devido ao fim de semana do feriado de Páscoa.

Vítima da explosão sendo socorrida depois que uma bomba explodiu em um parque público no Paquistão (Foto: Arif Ali/ AFP)
“A maioria dos mortos e feridos eram mulheres e crianças”, disse o superintendente de polícia da região onde fica o parque, Mustansar Feroz.
Em 2014, o Paquistão lançou uma ofensiva contra o Talibã e combatentes jihadistas aliados, para evitar que estes criassem refúgios no país para lançar ataques contra o próprio Paquistão ou o Afeganistão.

Punjab tem sido tradicionalmente mais pacífica que outras partes do Paquistão. Mas no ano passado uma bomba matou um popular ministro da província e mais oito pessoas em um ataque contra a casa do ministro na região.

O Paquistão, nação com armas nucleares de 190 milhões de pessoas, é atormentado pela insurgência Talibã, gangues criminosas e violência sectária. Punjab é sua maior e mais rica província.

.

Fonte: G1