Incêndio avança em Alberta, no Canadá, pelo sétimo dia consecutivo (Foto: Jonathan Hayward /The Canadian Press/AP)
Garoa e ventos favoráveis ajudavam nesta segunda-feira (9) no combate ao incêndio que atinge as florestas da região de Fort McMurray, no Canadá, segundo autoridades citadas pela BBC. O fogo não se espalhou como se temia.No entanto, um ministro ressaltou que ainda há muito trabalho pela frente para combater as chamas, que podem demorar meses para serem extintas.

Mais de 80 mil pessoas já deixaram a região na última semana. No domingo (8), as chamas continuaram a avançar.

Cerca de 2 mil quilômetros quadrados de florestas e bairros inteiros da cidade foram queimados na noite de sábado – uma área equivalente a três quartos do Luxemburgo, segundo a France Presse.
Diante dos incêndios fora de controle, os 500 bombeiros mobilizados se concentram principalmente em preservar as estruturas vitais (telecomunicações, eletricidade, gás, água).

Ainda não houve registro de mortes por causa do fogo, mas dois refugiados morreram em um acidente de carro enquanto tentava deixar a região, segundo a BBC.O governo tem se mobilizado para apoiar os habitantes de Fort McMurray, embora a maioria das pessoas que deixaram a região tenha encontrado abrigo com amigos ou familiares.

Mas dezenas de milhares de pessoas permanecem espalhadas em Alberta em abrigos de emergência, campings ou em estradas em enormes caravanas. Precisam de alimentos, roupas e produtos de higiene, como fraldas, de acordo com a France Presse.

Em Lac La Biche, primeira grande aldeia ao sul da zona proibida, embalagens de água mineral, roupas e alimentos doados por canadenses e pela Cruz Vermelha são distribuídos por voluntários. Bombeiros admitem que estes gigantescos incêndios devem continuar nos próximos meses (Foto: Chris Schwarz/Government of Alberta/REUTERS)
.

Fonte: G1