O ator George Clooney fala com a imprensa durante cerimônia no Memorial do Genocídio, neste domingo (24) (Foto: KAREN MINASYAN/AFP)
O astro de Hollywood George Clooney participou neste domingo (24) de uma passeata em Yerevan para recordar o 101º aniversário do genocídio que os armênios sofreram no Império Otomano.
Clooney, que defende o reconhecimento internacional dos massacres cometidos pelos turcos como genocídio, caminhou ao lado de milhares de armênios e do presidente Serzh Sarkisian para depositar flores no memorial de Tsitsernakaberd, ao mesmo tempo que missas eram celebradas nas igrejas do país.
O ator e diretor americano integra o comitê que concede o prêmio Aurora, criado pelo governo armênio em nome dos sobreviventes.

O genocídio “é parte da história da Armênia e também parte da história mundial, não é apenas a dor de uma nação”, afirmou Clooney ao desembarcar em Yerevan.
“A política negacionista da Turquia não mudou, como também não mudou sua visão hostil em relação a tudo que é armênio”, disse o presidente Sarkisian.

A Armênia considera que 1,5 milhão de pessoas morreram durante as perseguições no que então era o vasto Império Otomano, durante a I Guerra Mundial. A reivindicação é apoiada por vários países, mas a Turquia afirma que morreram de 300 mil a 500 mil armênios em uma guerra civil com os turcos.

Cerimônia em Yerevan relembra o massacre dos armênios pelos turcos neste domingo (24) (Foto: KAREN MINASYAN/AFP)
.

Fonte: G1