Chefe de negociações do governo colombiano, Frank Pearl, e líder da ELN, Antonio Garcia, concordam em iniciar negociações de paz em Caracas, na Venezuela (Foto: FEDERICO PARRA / AFP)
O governo colombiano e a guerrilha do Exército da Libertação Nacional (ELN) anunciaram nesta quarta-feira (30) em Caracas o início de um processo de paz, para o qual instalarão uma mesa de negociações no Equador.
As partes decidiram “instalar uma mesa pública de negociações para abordar os pontos que são estabelecidos na agenda, com o objetivo de assinar um acordo final para terminar com o conflito armado e acordar transformações em busca de uma Colômbia em paz e equidade”, afirmou uma declaração lida pelos chefes das delegações: Frank Pearl, por parte do governo, e Antonio García, pela ELN.
Essa mesa será estabelecida no Equador, enquanto que as sessões de diálogo serão realizadas na Venezuela, Chile, Brasil e Cuba, que, junto com a Noruega, são fidadores do processo.

Acordo com as FarcA ELN é a segunda guerrilha ativa no país. O governo colombiano negocia desde 2012 em Havana, Cuba, um acordo de paz com as Farc, o maior movimento rebelde do país.

O acordo de paz com as Farc deveria sair no último dia 23 de março, mas as partes não chegaram a um acordo quanto ao desarmamento do grupo.
O diálogo de paz se estancou em meados de fevereiro, após as Farc realizarem um encontro com guerrilheiros armados na região de El Conejo, em La Guajira, no norte do país.

O governo e as Farc debatem atualmente o espinhoso ponto do fim do conflito, mas não conseguem chegar a posições comuns em aspectos-chave como a definição de zonas de concentração dos guerrilheiros para a entrega das armas ou os prazos deste processo.
.

Fonte: G1