Criança recém-chegada à ilha de Lesbos em barco de migrantes e refugiados usa cobertor de emergência para se aquecer (Foto: Aris Messinis/AFP)
O Papa Francisco irá visitar a Grécia nos dias 14 e 15 de abril, disse uma autoridade do governo grego nesta terça-feira (5), para ver de perto a linha de frente da crise imigratória da Europa e o sofrimento de milhares de refugiados fugindo de conflitos.
O Santo Sínodo, o órgão administrativo da igreja ortodoxa grega, afirmou em um comunicado que quer que o pontífice vá a Lesbos, ilha do Mar Egeu à qual centenas de milhares de refugiados e imigrantes chegaram no último ano.
Confirmando a visita, um funcionário governamental disse que Francisco irá a Lesbos acompanhado pelo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e pelo patriarca ortodoxo ecumênico Bartolomeu, líder espiritual dos cristãos ortodoxos.

“O governo grego dará as boas-vindas ao Papa Francisco e ao patriarca ortodoxo Bartolomeu como apoiadores e amigos valiosos na luta para oferecer algum alívio aos refugiados”, afirmou a autoridade.
A igreja grega informou que o Papa expressou o desejo de fazer a visita para chamar atenção para o conflito na região do entorno do Mar Mediterrâneo, “que tem um efeito deletério nas comunidades cristãs, mas também para enfatizar o problema humanitário causado pelos refugiados desesperados que procuram um futuro melhor na Europa”.

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que houve contatos entre autoridades religiosas e civis, mas que não foi tomada nenhuma decisão definitiva sobre o momento ou o local da viagem.
Centenas de milhares de refugiados em fuga de conflitos cruzaram da Turquia para a Grécia por mar no ano passado, desencadeando a maior crise humanitária em gerações.

.

Fonte: G1