A imprensa internacional deu destaque à decisão do presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), de anular a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff realizada na Casa no dia 17 de abril.
O jornal britânico “The Guardian” tinha o assunto como destaque principal na tarde desta segunda-feira (9). O diário afirma que a decisão de Maranhão joga a atual legislatura “no caos”.

Afirma ainda que essa virada pode oferecer uma saída para Dilma se manter no cargo.Jornal britânico afirma que decisão de Maranhão joga a legislatura no caos’ (Foto: Reprodução/The Guardian)
Já o diário espanhol “El País” também tinha o novo acontecimento no Congresso brasileiro como destaque principal, noticiando que o calendário dos próximos acontecimentos é uma “incógnita”.

Decisão de Maranhão contra impeachment virou destaque principal na página do “El País” (Foto: Reprodução/El País)
O “Le Monde”, diário francês, noticiou que a medida de Maranhão criou “uma grande confusão”, já que o Senado esperava votar esta semana o procresso de impeachment e agora não está claro se isso se manterá ou não.Página inicial do ‘Le Monde’ destaca notícia sobre anulação da votação de impeachment na Câmara (Foto: Reprodução/Le Monde)
No portal da revista alemã “Der Spiegel”, a notícia sobre o Brasil também estava entre os principais destaques.

A revista explica que Maranhão quer uma nova votação na Câmara sob o argumento de que a defesa de Dilma tenha sido prejudicada.Decisão de Maranhão foi noticiada pela revista alemã "Der Spiegel" (Foto: Reprodução/Der Spiegel)
O diário argentino “El Clarín” destacou os acontecimentos no Brasil chamando-os de “virada surpresa”.

‘El Clarín’ chama a decisão de Maranhão de ‘virada surpresa’ (Foto: Reprodução/El Clarín’)
.

Fonte: G1