Jeb Bush, ao anunciar desistência da candidatura à presidência dos EUA (Foto: Matt Rourke / AP Photo)
O ex-candidato do Partido Republicano para as eleições presidenciais dos Estados Unidos e ex-governador da Flórida, Jeb Bush, disse nesta sexta-feira (6) que não vai votar em Donald Trump, o pré-candidato que provavelmente será o indicado do partido, e se juntou assim a seu irmão e a seu pai, ambos ex-presidentes do país.
Em um texto postado em sua página do Facebook, Jeb Bush afirmou que o magnata nova-iorquino não é um “conservador coerente” e não demonstrou “a força de caráter” que, para ele, é necessária para ser presidente dos EUA.
“Donald Trump não demonstrou temperamento e força de caráter, nem respeito pela Constituição.

E não é um conservador coerente. Essas são as razões pelas quais não posso apoiar sua candidatura.

Em novembro, não votarei nem nele, nem em Hillary Clinton (que é a favorita para a indicação do Partido Democrata)”, escreveu o ex-governador da Flórida.
Para Jeb Bush, o presidente dos EUA precisa de “grande força e humildade e de temperamento e personalidade fortes para lidar com os desafios inesperados que inevitavelmente atingirão o país nos próximos quatro anos”, algo que, a seu entender, Trump não tem.

O ex-candidato, que durante meses foi considerado como favorito pelo ‘establishment’ do Partido Republicano e pela imprensa, apesar de não contar com muito apoio popular, também criticou a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, a quem considerou uma “progressista em que não se pode confiar”.
“Se ela for eleita, isso significará um terceiro mandato das desastrosas políticas externa e econômica de Barack Obama”, opinou Jeb Bush, que, apesar de ter abandonado a corrida pela indicação republicana em 20 de fevereiro, continua sendo o pré-candidato conservador que mais teve gastos de campanha, com quase US$ 138 milhões.

Na última quarta (4), seu pai e ex-presidente George H.W.

Bush e seu irmão e também ex-presidente George W. Bush descartaram qualquer apoio a Trump, por isso o anúncio de Jeb representa a rejeição ao provável candidato republicano por parte de uma das dinastias de maior influência e poder entre os conservadores dos EUA.

Outro ex-candidato presidencial, o senador pela Carolina do Sul Lindsey Graham, também afirmou que não apoiará Trump, ao considerar em uma postagem no Twitter que o nova-iorquino não é “um conservador republicano confiável”.
“Não acredito que (Trump) seja um conservador republicano confiável, nem que tenha mostrado o juízo e o temperamento necessários para ser o comandante-em-chefe”, disse Graham.

O senador, um dos rostos mais representativos do ‘establishment’ republicano, suspendeu sua campanha presidencial em dezembro do ano passado, antes do início das votações nas primárias, depois que registrou apoio próximo de 0% nas pesquisas de intenção de voto.
.

Fonte: G1