A força-tarefa da operação Lava Jato apresentou nesta quinta-feira (28) duas denúncias contra o publicitário João Santana, responsável pelas últimas campanhas do PT à Presidência, e a sua mulher e sócia, Mônica Moura. Os dois foram detidos na 23ª fase da Lava Jato, em fevereiro, sob suspeita de receber no exterior dinheiro desviado da Petrobras.Além do casal, também foram denunciados (acusados formalmente) outras 15 pessoas, incluindo o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o empreiteiro Marcelo Odebrecht e outros ex-executivos da Odebrecht.

 Outro alvo é o lobista Zwi Skornicki, preso na mesma fase, que representava o estaleiro asiático Keppel no Brasil. Ele é suspeito de fazer pagamentos para o casal fora do país.

Também foram denunciados quatro ex-executivos da Petrobras: Renato Duque, que está detido há mais de um ano, João Carlos Ferraz e os delatores Eduardo Musa e Pedro Barusco. Caso o juiz Sergio Moro aceite as denúncias, Santana e Mônica viram réus na Justiça Federal.

Segundo o Ministério Público Federal, uma das denúncias já tinha sido oferecida em março, mas, no dia em que a peça foi apresentada, Moro decidiu enviar a íntegra do caso ao Supremo Tribunal Federal devido à possível relação com autoridades com foro privilegiado. Na semana passada, o Supremo decidiu mandar o caso de Santana de volta à primeira instância.

 Os procuradores do Ministério Público Federal vão detalhar as denúncias em entrevista coletiva na tarde desta quinta.OS DENUNCIADOSDenúncia 1– Zwi Skornicki– Pedro Barusco– Renato Duque– Mônica Moura– João Santana– João Vaccari Neto– João Carlos de Medeiros Ferraz– Eduardo MusaDenúncia 2– Marcelo Odebrecht– Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho– Luiz Eduardo da Rocha Soares– Fernando Migliaccio da Silva– Maria Lucia Guimarães Tavares– Angela Palmeira Ferreira– Isaias Ubiraci Chaves Santos– Mônica Moura– João Santana– João Vaccari Neto– Olivio Rodrigues Junior– Marcelo Rodrigues OTempo
.

Fonte: Gazeta de Uberlândia