Capa do Charlie Hebdo que foi reproduzida por jornalistas condenados (Foto: Divulgação: TV Globo)
Um tribunal de Istambul condenou nesta quinta-feira (28) dois jornalistas turcos a dois anos de prisão cada pela reprodução, em 2015, de uma charge de Maomé publicada na revista francesa Charlie Hebdo, indicou à AFP seu advogado.
“O tribunal os condenou a uma pena de prisão de dois anos”, afirmou o advogado de defesa Bülent Utku, que pretende apelar da sentença.
No dia 14 de janeiro de 2015, Hikmet Cetinkaya e Ceyda Karan, dois jornalistas da publicação de oposição Cumhuriyet, acompanharam um editorial sobre os atentados contra a Charlie Hebdo de 7 de janeiro com reproduções da revista onde aparecia uma charge de Maomé.

O desenho em questão representa Maomé chorando e carregando um cartaz que diz “Je suis Charlie”, o lema que surgiu na França e em todo o mundo após os atentados jihadistas de janeiro em Paris que deixaram 17 mortos.
.

Fonte: G1