Keiko Fujimori durante comício em Lima, na quinta (31) (Foto: AFP Photo/Ernesto Benavides)
Keiko Fujimori, que lidera as pesquisas para a presidência do Peru, segue na disputa para as eleições de 10 de abril, após o Supremo Tribunal Eleitoral rejeitar um pedido para impugná-la por violação da lei eleitoral.
A decisão da justiça eleitoral destaca que “não ficou provado claramente que Keiko Fujimori Higuchi violou o artigo 42 da Lei de Organizações Políticas”, assinala o órgão eleitoral em um comunicado.
O congressista Heriberto Benítez, um dos demandantes, já comunicou que “vai apelar da decisão porque na resolução há dois juízes (do total de cinco) que assinalam que houve infração”.

No dia 24 de março, o Juri Eleitoral Especial (JEE) de Lima já havia decidido rejeitar a ação contra Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori.
A dez dias das eleições, o Peru vive um clima de incerteza devido à lei que entrou em vigor em janeiro e permite a impugnação de candidatos por entrega de dinheiro ou presentes a eleitores.

A filha do ex-presidente Alberto Fujimori – condenado por corrupção e crimes contra a humanidade – Keiko lidera as pesquisas de intenção de voto com 36,1%, de acordo com o instituto Datum.
Na segunda posição, em empate técnico, aparecem o economista Pedro Pablo Kuczynski (direita), e Verónika Mendoza (esquerda), com 16% e 14,8% das intenções de voto.

Com estes resultados será necessário realizar um segundo turno, já que nenhum dos candidatos obtém a metade mais um dos votos.
.

Fonte: G1