Pessoas participam de manifestação chamada – Marcha contra o medo, Todos Juntos – em memória às vítimas do ataque no metro e aeroporto de Bruxelas. (Foto: Reuters)
Uma manifestação contra o terror e o ódio convocada neste domingo em Bruxelas, um movimento de protesto contra os atentados que abalaram a capital da Bélgica no último dia 22 de março, reuniu mais de 3 mil pessoas, segundo a polícia.
Os manifestantes iniciaram na Estação do Norte de Bruxelas uma caminhada pelas ruas da cidade.

Eles passarão pelos limites do distrito de Molenbeek antes de chegar ao Boulevard Anspach, uma das principais avenidas da capital.
Vários moradores de Molenbeek se reuniram em uma das principais praças do distrito para se unir à passeata.

O distrito ficou famoso por ser o local de nascimento ou ter sido usado por vários dos envolvidos nos atentados em Bruxelas e em Paris.
As autoridades preveem que 15 mil pessoas participem do protesto, que vai terminar na praça em frente à antiga Bolsa de Bruxelas.

No local, os manifestantes devem depositar flores em homenagem às 32 pessoas que morreram e aos mais de 300 feridos das explosões contra a estação de metrô de Maelbeek e o aeroporto de Zaventem.Belgas prestam homenagem às vítimas de ataque e protestam contra o terror e o medo que se instalou no país.

(Foto: Reuters)
Com bandeiras belgas, cartazes com mensagens em favor da paz e da solidariedade, assim como contrárias à violência e aos extremistas, os manifestantes percorrem as ruas da capital. Alguns deles pedem que os terroristas parem de usar o Islã para justificar seus atos.

Há um grande número de muçulmanos no protesto, que pedem para não serem comparados com os extremistas e alertam contra o perigo de o racismo se intensificar após os atentados.
O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, deve se reunir após a manifestação com uma delegação de vítimas e com os organizadores do protesto, confirmaram à Agência Efe fontes do governo.

.

Fonte: G1