As irmãs Ishita e Riddhima Shrestha, de 3 e 9 anos, estão entre as dezenas de meninas nepalesas que participam da cerimônia do “Ihi O Bel bibaha”, um ritual de chegada da idade adulta praticado pela comunidade Newar.Meninas pré-púberes se casam com divindade hindu Vishnu (Foto: Prakash Mathema/AFP)
Os Newar, povo indígena do Vale de Katmandu, combinam em seus costumes elementos do hinduísmo e do budismo.
A cerimônia, que é praticada várias vezes por ano numa histórica praça, dura dois dias e consiste em casar as meninas pré-púberes com a deidade hindu Vishnu, simbolizada pela fruta local, o marmelo de Bengala.

O costume centenário serve para proteger as meninas do estigma que a viuvez tem para esta comunidade, ao assegurar que o primeiro marido de uma mulher newar – o deus – inevitavelmente sobreviverá a sua esposa mortal.
Durante a cerimônia, as meninas seguram o marmelo em uma das mãos e tocam a estátua do deus com a outra, simbolicamente oferecendo a Vishnu sua mão em casamento.

Os pais das meninas também asseguram seu lugar no paraíso através do “kanyadaan” – a prática de oferecer sua filha em matrimônio -, segundo os sacerdotes que conduzem a cerimônia.
“Estas são tradições transmitidas por nossos ancestrais, temos que segui-las e mantê-las vivas.

É nossa cultura”, explica Dipendra Shrestha, pai de duas meninas.
Depois dos rituais, a noiva ganha presentes e é realizado um banquete para familiares e amigos.

.

Fonte: G1