Uma integrante do Médicos Sem Fronteiras observa ruínas de hospital atingido por bombardeio em Kunduz, no Afeganistão, em foto de 16 de outubro de 2015 (Foto: Reuters/Stringe)
Os militares dos Estados Unidos vão anunciar na sexta-feira terem tomado ações disciplinares contra 16 dos seus integrantes por causa do ataque aéreo mortal de 3 de outubro no Afeganistão que destruiu um hospital administrado pela organização internacional Médicos Sem Fronteiras, disseram autoridades norte-americanas à Reuters.
O anúncio das punições não judiciais ocorrerão durante a divulgação das conclusões de uma investigação militar norte-americana sobre o incidente, que em geral aponta que o ataque foi um erro trágico, afirmaram as autoridades sob condição de anonimato.
A conclusão é consistente com os resultados de uma investigação preliminar divulgada pelos militares dos EUA em novembro, quando comandantes enfatizaram que as forças do país não atingiram o hospital de maneira intencional.

O general John Campbell, que então comandava as forças dos EUA e da Otan no Afeganistão, descreveu uma série de equívocos que levaram os norte-americanos a atingir o hospital, apesar de ele estar numa lista de pontos que não deveriam ser atacados.
.

Fonte: G1