A ex-primeira-ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, durante entrevista coletiva em Nova York, na segunda (4) (Foto: AFP Photo/Kena Betancur)
A ex-primeira-ministra da Nova Zelândia Helen Clark anunciou nesta segunda-feira (4) sua candidatura para ser a próxima secretária-geral das Nações Unidas, um cargo jamais ocupado por uma mulher.
“Me apresento com base em minha comprovada experiência de liderança durante quase três décadas, tanto em meu país como nas Nações Unidas”, disse Clark em entrevista à AFP.
“Considero que tenho a experiência e as aptidões para desempenhar este cargo”.

A busca por um sucessor para Ban Ki-moon chega em um momento de alta tensão internacional, quando a ONU se depara com a pior crise de refugiados desde a II Guerra Mundial e intensos conflitos no Oriente Médio e na África.
Clark, 66 anos, pode se tornar a partir de janeiro de 2017 a primeira mulher a dirigir a ONU, que teve oito secretários-gerais em 70 anos de história.

Além de Clark, outras sete pessoas já se apresentaram para o cargo de secretário-geral da ONU, incluindo três mulheres. Entre os candidatos figuram a chefe da UNESCO, a búlgara Irina Bokova; e o ex-alto-comissário para os refugiados Antonio Guterres, de Portugal.

Clark dirige há sete anos o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), uma das principais agências da ONU.
.

Fonte: G1