Esta lista tem atualizações até o fim do dia. Acompanhe.O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) chega para entrevista coletiva, após ser afastado por 11 votos a 0 pelo STF da Presidência da Câmara e do mandato de deputado federal (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)Eduardo Cunha (PMDB-RJ) teve seu mandato de deputado federal suspenso e foi afastado da presidência da Câmara pelo STF por 11 votos a 0.

Teori afirmou que a permanência de Cunha “conspira contra a dignidade” da Câmara. Leia a íntegra da decisão.

Cunha falou em “intervenção” do Supremo e disse que vai recorrer da decisão. A Câmara decide se ele manterá o salário de R$ 33 mil e benefícios do cargo, como usar o jato da FAB.

O presidente interino da Câmara será Waldir Maranhão (PP-MA), aliado do peemedebista e também investigado na Lava Jato.Adversários celebraram o afastamento de Cunha; aliados falam em “invasão”.

PSDB, DEM, PPS e PSB pediram eleições para a presidência da Câmara.”Antes tarde do que nunca”, afirmou Dilma.

Grupos celebraram o afastamento com dança e fogos de artifício em Brasília.A imprensa internacional repercutiu a decisão.

Senadores da comissão especial de impeachment debateram o relatório de Antonio Anastasia (PSDB-MG), que será votado nesta sexta. Para a defesa de Dilma, ele se deixou levar por “paixão partidária” no parecer e vai tentar anular o processo.

O Rio Doce após o desastre ambiental causado pela Samarco (Foto: Leonardo Merçon/Últimos Refúgios)
O acordo de R$ 20 bilhões entre o governo e a mineradora para o Rio Doce foi homologado pela Justiça exatos 6 meses após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG).
Apesar da homologação, o MP de Minas Gerais denunciou a mineradora e 14 executivos da empresa por crimes ambientais e o Ibama aplicou a 6ª multa contra a Samarco (elas já somam R$ 292 milhões).

O G1 publicou 3 reportagens sobre o passado, o presente e o futuro de Mariana:
– Morador relembra distrito de Mariana mais de 10 anos antes da lama
– Seis meses após desastre, turismo em Mariana ainda sofre reflexos
– Tombamento de distritos de Mariana é alerta para que tragédia não se repitaA nota de crédito do Brasil segundo as maiores agências de classificação de risco (Foto: Editoria de Arte/G1)
A agência de classificação de risco Fitch voltou a rebaixar a nota de crédito do Brasil. Foi o 2º rebaixamento da Fitch em 6 meses.

A nota caiu para BB e manteve o selo de “mau pagador”.Dunga convocou os 23 jogadores que vão jogar a Copa América Centário sem Neymar, Kaká e Paulo Henrique Ganso e com 7 jogadores olímpicos.

Estudantes têm até a tarde desta sexta para desocupar o plenário da Assembleia Legislativa de SP. A reintegração de posse prevê multa de R$ 30 mil para quem desobedecê-la.

Já a reintegração do Centro Paula Souza não ocorreu e um novo pedido terá de ser feito. “Que coincidência! Não tem polícia, não tem violência”, comemoraram os estudantes, que ocupam o local desde 28 de abril.

Em Alagoas, estudantes invadiram a AL em protesto contra o ‘Escola Livre’, projeto que tem gerando polêmica por defender “neutralidade” política, ideológica e religiosa do professor em sala de aula. O governador havia vetado o projeto, mas deputados derrubaram o veto.

Em grave crise financeira, o governo do RJ só repassou metade do que deveria à Saúde nos 4 primeiros meses do ano.
O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que precisa de R$ 9 bilhões para poder planejar os próximos 3 meses – período que termina durante as Olimpíadas.

Governador do RS – outro estado em dificuldades – divulgou seu extrato bancário no Facebook para comprovar o parcelamento do próprio salário.Quer saber mais? Veja as principais notícias do G1 nesta quinta (5).

.

Fonte: G1