Sem-teto é visto em uma rua de Los Angeles em 9 de fevereiro (Foto: Frederic J. Brown/AFP)
O número de moradores de rua voltou a crescer este ano em Los Angeles, considerada uma das cidades com mais sem-teto dos Estados Unidos, devido a um déficit “histórico” de habitações, revela um estudo do município publicado nesta quarta-feira (4).
No total, cerca de 28.

500 pessoas passam as noites em barracas, carros ou ao relento, segundo o último levantamento das autoridades locais, o que revela um crescimento de 11% em relação à 2015.
No conjunto do condado de Los Angeles, o aumento foi de 5,7%, para o total de 46.

874 pessoas.
Nova York é a cidade com mais sem-teto dos EUA, com cerca de 57 mil, mas 95% dormem em albergues noturnos financiados com fundos públicos.

Entre os sem-teto de Los Angeles, entre 2 mil e 6 mil estão no paupérrimo bairro de Skid Row, situado no centro da cidade. A maioria é de afro-americanos que sofrem de problemas mentais.

“Apesar dos progressos, Los Angeles enfrenta um déficit histórico de residências e uma crise de doentes mentais impactante, enquanto a cada dia mais veteranos de guerra se tornam indigentes”, assinalou o prefeito Eric Garcetti.
“Como cidade, temos lançado iniciativas para encarar estes problemas, obtendo investimentos federais recordes para ajudar as famílias dos veteranos traçando uma ampla estratégia de levantamento de indigentes e expandindo o programa de albergue durante o inverno”.

.

Fonte: G1