Barack Obama participa do International Jazz Day Concert, na Casa Branca, na sexta (29) (Foto: AP Photo/Carolyn Kaster)
A Casa Branca ainda analisa se Barack Obama irá a Hiroshima, no que seria a primeira visita de um presidente americano a uma das duas cidades japonesas atacadas pelos Estados Unidos com a bomba atômica.
“Estamos colocando muito empenho no planejamento desta viagem”, disse o secretário de Imprensa da Casa Branca, Josh Earnest.
“O presidente já foi ao Japão três ou quatro vezes, e sempre que esteve lá surgiu este tema, que analisamos em cada ocasião”, recordou o funcionário.

A princípio, Obama visitará o centro do Japão no final de maio para um encontro do G7.
No mês passado, o secretário de Estado, John Kerry, se tornou o funcionário americano de maior graduação a visitar Hiroshima.

Na ocasião, Kerry se disse “profundamente comovido” com a visita e acrescentou que Hiroshima foi “um marco devastador que interpela toda a sensibilidade de um ser humano”.
“Todos deveriam vir a Hiroshima, e quando digo todos, me refiro a todos”, declarou Kerry, abrindo as especulações sobre a visita de Obama.

Secretário de Estados dos Estados Unidos, John Kerry, coloca o braço nas costas do ministro de relações exteriores do Japão, Fumio Kishida, durante uma visita ao Memorial de Hiroshima no dia 11 de abril. Cidade foi devastada por uma bomba americana (Foto: Jonathan Ernst / AFP)
O Japão tem proposto aos líderes mundiais que visitem Hiroshima e Nagasaki para ver os horrores das armas atômicas e se unam no combate ao armamento nuclear.

Mas uma visita de Obama pode irritar a oposição nos Estados Unidos, além dos militares cujos predecessores obedeceram a ordem de lançar as bombas.
A eventual visita ocorreria em um momento especialmente sensível: no ano do 75º aniversário do ataque a Pearl Harbor, em dezembro de 1941, o que provocou a declaração de guerra dos EUA ao Império japonês.

Earnest assinalou que Obama não acredita que os Estados Unidos devam desculpas ao Japão pelo lançamento das bombas nucleares.
.

Fonte: G1