O presidente dos EUA, Barack Obama, conhece o príncipe George durante visita ao Palácio deKensington, em Londres, na sexta (22) (Foto: Reprodução/Twitter/Kensington Palace)
O Palácio de Kensington divulgou na sexta (22) duas fotos do momento em que o presidente dos EUA e a primeira-dama, Barack e Michelle Obama, conheceram o príncipe George, filho mais velho do príncipe William e terceiro na linha de sucessão ao trono britânico.De pijamas, pantufas e um roupão, o pequeno George aparece cumprimentando Obama, que se abaixou ao lado de William e Michelle para falar com o príncipe. Em uma segunda foto, William e Obama conversam enquanto George brinca em um cavalinho de madeira e presta atenção a algo que sua mãe, Kate, diz a ele.

Michelle Obama pode ser vista conversando com outra pessoa do outro lado da sala.O príncipe George brinca com sua mãe, Kate, durante vista do casal Obama ao Palácio de Kensington, em Londres, na sexta (22) (Foto: Reprodução/Twitter/Kensington Palace)
O casal Obama chegou a Londres na quinta, depois de uma visita a Arábia Saudita.

Antes de se encontrar com a família real, o presidente participou de uma coletiva de imprensa ao lado do primeiro-ministro britânico, David Cameron, na qual voltou a defender a permanência do Reino Unido na União Europeia.Segundo a agência Reuters, Obama afirmou que a filiação britânica à UE enfatiza o “relacionamento especial” entre Washington e Londres.

“Acho que isso faz de vocês participantes mais importantes”, disse.O presidente dos EUA, Barack Obama, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, sorriem durante coletiva conjunta em Londres, na sexta (22) (Foto: AFP Photo/Ben Stansall)
No tema comércio, os EUA veriam um acordo com a UE como uma prioridade maior do que um pacto em separado com um mercado muito menor como o de uma Grã-Bretanha isolada.

“É justo dizer que, em algum momento mais adiante, pode haver um acordo comercial Grã-Bretanha-Estados Unidos, mas isso não irá acontecer em um futuro próximo porque nosso foco é negociar com um grande bloco, a União Europeia, para obter um acordo comercial”, afirmou Obama.”E a Grã-Bretanha ficará no fim da fila não porque não tenhamos um relacionamento especial, mas porque, dado o grande peso de qualquer acordo comercial, termos acesso a um grande mercado com muitos países, ao invés de tentar fazer acordos comerciais fatiados, é altamente eficaz”.

.

Fonte: G1