A organização de defesa dos direitos dos animais PETA virou acionista da marca de luxo Prada para estar presente nas assembleias gerais e poder pedir o fim da venda de produtos feitos com couro de avestruz.
A PETA não informou quantas ações comprou, mas explicou que virou acionista depois que uma investigação revelou que, para fazer produtos de couro, a Prada usa aves de apenas um ano, e que morrem depois de receber uma descarga elétrica ou serem degoladas.
Contatada pela AFP, a Prada não quis fazer comentários.

Membros da Peta protestam contra o uso de couro de avestruz em frente a uma loja da Prada em um shopping em Kuala Lumpur, na Malásia, no dia 19 de abril (Foto: Mohd Rasfan/AFP)
.

Fonte: G1