Refugiados em abrigo em Efurt, no Centro da Alemanha (Foto: Jens Meyer/AP)
Cinco ONG cristãs denunciaram nesta segunda-feira as situações de assédio que os solicitantes de asilo cristãos têm sofrido nos albergues de refugiados alemães e cobraram do governo de Angela Merkel medidas para protegê-los.
Em entrevista coletiva em Berlim, a ONG Open Doors Deutschland (Portas Abertas Alemanha) apresentou os resultados de uma pesquisa realizada com 231 cristãos refugiados, a maioria convertidos, que revelou que mais da metade se sente ameaçada nos centros de amparo alemães.
O estudo revelou que a grande maioria (88%) foi assediada por outros refugiados desses centros por motivos religiosos, e a metade (49%) também se sentiu perseguida pelo pessoal de segurança dos albergues.

Com estes resultados, a Open Doors Deutschland e outras quatro ONG de corte cristão exigiram do Executivo alemão e das agências governamentais responsáveis pelo amparo dos refugiados “uma proteção especial para esta minoria”, semelhante à que outros grupos religiosos, como os yazídies e bahaís, já solicitaram por sofrerem dos mesmos problemas.
Como medida de emergência, propuseram alojar de forma temporária os solicitantes de asilo cristãos e de outras minorias religiosas em instalações especiais, convencidos de que, embora não seja a solução ideal para favorecer sua integração, é necessária para protegê-los.

Para combater as percepções que minimizam o problema e dar voz às vítimas, as organizações participantes documentaram a discriminação e os ataques sofridos pelos cristãos nos alojamentos.
Segundo o pastor protestante Gottfried Martens, a maioria dos entrevistados é do Afeganistão e do Irã, e alguns foram ameaçados depois de se negarem a participar de orações da comunidade islâmica.

Muitos não relataram os incidentes por medo generalizado de retaliações, inclusive com ameaças de morte e, quando o fazem, às vezes alguns intérpretes muçulmanos não traduzem os incidentes de forma correta, denunciaram as ONG.
A organização Ação contra os cristãos perseguidos e necessitados (AVC) informou ainda que remeteu um pedido ao secretário-geral da União Democrata-Cristã (CDU) – o partido de Angela Merkel, Peter Tauber, para cobrar ações concretas para garantir a proteção dos cristãos.

EFE
.

Fonte: G1