Pela primeira em quatro décadas, nenhum alpinista conseguiu chegar no topo do Monte Everest, a montanha mais alta do planeta. Alguns fatores contribuiram para isso, especialmente um terremoto de 7,8 de magnitude ocorrido no Nepal em abril de 2015. O desastre natural deixou mais de 21 mil pessoas feridas na região, 24 delas no próprio Everest.

Mesmo que o governo do Nepal não tenha fechado oficialmente o Monte para escalada após o ocorrido, equipes de alpinistas preferiram arriscar uma subida ao topo da montanha. 

O alpinista japonês Nobukazu Kuriki até tentou chegar ao topo do Everest, mas teve que desistir devido as condições extremas da subida. “Eu fiz o meu melhor, mas percebi que não conseguiria voltar vivo se continuasse por conta dos fortes ventos e da neve intensa”, escreveu Kuriki, que já perdeu nove dedos nas tentativas anteriores de vencer o Everest. 

A cada ano a subida ao topo do Everest deve ficar mais difícil, especialistas afirmam que as geleiras do local podem ser reduzidas em até 70% e, ocasionalmente, grandes quantidades de água derretida podem cair do Monte, apresentando um grande risco quem o estiver escalando. 

Monte Everest (Crédito: Global Panorama)