O pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump deve ter uma vitória fácil na primária de Nova York nesta terça-feira (19) e prometeu levar o Estado majoritariamente democrata na eleição presidencial de novembro, mas o nativo do bairro de Queens pode ver seu Estado-natal se revelar um túmulo político, como tantos outros postulantes republicanos à Casa Branca que o precederam.Os pré-candidatos republicanos Donald Trump, Ted Cruz e John Kasich durante debate promovido pela CNN na Flórida em 10 de março (Foto: REUTERS/Carlo Allegri)
Pesquisas de opinião mostram Trump derrotando seus adversários partidários Ted Cruz, senador do Texas, e John Kasich, governador de Ohio, com cerca de 50% dos votos, ante aproximadamente 20% das urnas para cada rival.
O empresário nova-iorquino insiste que é o único dos três pré-candidatos que pode conquistar novos eleitores suficientes para vencer no dia 8 de novembro em Estados que há muito tempo são bastiões democratas.

Trump vem repetindo em entrevistas e eventos de campanha que pode reescrever o mapa político avançando em Estados tradicionalmente democratas, como Nova York e Pensilvânia, na votação do final do ano. Ele afirma ter um apelo que atinge várias camadas do eleitorado e que é mais forte no populoso nordeste norte-americano, onde as atitudes sociais são mais liberais do que no sul e no meio-oeste profundamente religiosos.

Mesmo assim, as sondagens e os registros eleitorais levam a crer que as chances de Trump derrotar um democrata em qualquer Estado do nordeste, para nem falar de Nova York, são muito menores, por exemplo, do que as da pré-candidata democrata favorita Hillary Clinton ganhar uma fortuna em um dos cassinos de propriedade de Trump.
Corey Lewandowski, gerente de campanha do bilionário, disse em uma entrevista que, mesmo que ainda não tenha sido oficializado como escolhido dos republicanos para a eleição, Trump tem uma vantagem em Nova York porque é bastante conhecido e emprega pessoas no Estado.

Ele citou o ótimo desempenho de Trump nas primárias de Massachusetts e de New Hampshire como indícios de sua popularidade na região.
“O que você tem com Donald Trump é o único pré-candidato nesta corrida que realmente terá chance de conquistar Estados que Mitt Romney não conquistou”, afirmou Lewandowski, referindo-se ao candidato presidencial republicano de 2012 e ex-governador de Massachusetts.

A Pensilvânia tem quatro milhões de eleitores democratas registrados e 3,1 milhões de republicanos, mas só 62 mil democratas mudaram de lado desde o início de 2016, revelam dados da unidade federativa.
Nova York, com 5,8 milhões de eleitores democratas registrados e 2,7 milhões de republicanos, não mostrou virtualmente nenhuma mudança, e a diferença entre eleitores registrados das duas legendas se manteve bastante estável entre 2015 e 2016, de acordo com dados do Estado.

Se Trump tem apelo em vários setores sociais, isso ainda não está aparente.
Nova York não escolhe um republicano em uma eleição geral desde 1984, quando Ronald Reagan conquistou 49 de 50 Estados em uma vitória arrasadora.

.

Fonte: G1