Fumaça sobe após explosão em complexo petroquímico da companhia estatal Petroleos Mexicanos (Pemex) no porto de Coatzacoalcos, no estado de Veracruz; foto foi tirada no dia 20 (Foto: Angel Hernandez/Reuters)
A forte explosão ocorrida na quarta-feira (20) em um complexo petroquímico da companhia estatal Petroleos Mexicanos (Pemex) no porto de Coatzacoalcos, no estado de Veracruz, no leste do México, já deixou pelo menos 13 mortos, informou em post no Twitter o coordenador nacional da Defesa Civil do país, Luís Felipe Puente. Fontes oficiais informaram nesta quinta que os feridos passavam de 130.
A explosão aconteceu por volta das 15h30 locais (17h30 de Brasília) na usina de Clorados 3 do complexo de Pajaritos e foi ouvida na maior parte do porto.

As autoridades emitiram um alerta à população de Coatzacoalcos para que as pessoas evitem sair de casa devido à presença, no ar, de compostos químicos que podem causar queimaduras na pele.Post no Twitter do coordenador nacional da Defesa Civil do país, Luís Felipe Puente, fala em 13 mortospreliminarmente (Foto: Reprodução/Twitter)
A Secretaria de Defesa Civil informou que há gases e cinzas derivados de fibra de vidro com cloroetanol, que surgem das chamas do local do acidente.

Com isso, foi fechada ao tráfego a estrada federal Coatzacoalcos-Villahermosa e a Ponte Coatzacalcos I, que liga a cidade ao resto da região.
A Pemex indicou através de Twitter que estava atendendo a ocorrência “na usina Clorados 3 da empresa Petroquímica Mexicana de Vinilo (PMV), em Coatzacoalcos”.

Em mensagem posterior, a companhia afirmou que “o acidente ocorreu na usina PMV, que é operada pela empresa Mexichem, com a qual a Pemex tem uma parceria”.
Inicialmente, foi informado que três funcionários tinham ficado feridos pelo acidente na usina, mas em mensagem posterior o número foi corrigido para 30 e, pela noite, aumentou para 136.

“No total, há 136 trabalhadores feridos, dos quais 48 já receberam alta médica e 88 permanecem hospitalizados”, disse a companhia petrolífera. Além disso, a Pemex garantiu que a situação atual na usina “está controlada e não existe risco para a população”.

Pouco antes, o governador de Veracruz, Javier Duarte, disse em mensagem à imprensa em Coatzacoalcos que três pessoas tinham morrido e 105 estavam feridas, 58 delas trabalhadores da Pemex. Além disso, o governador indicou que cerca de 2 mil pessoas tinham sido desalojadas de suas casas nas imediações do complexo petrolífero.

No complexo de Pajaritos são beneficiados vários produtos petroquímicos secundários, principalmente o monômero do cloreto de vinil, derivados do etileno e do cloro, assim como produtos da família das olefinas.
No porto de Coatzacoalcos ficam os complexos petroquímicos Pajaritos, Cangrejera e Morelos, assim como o Terminal Marítimo de Pajarito.

No município vizinho de Minatitlán fica a refinaria Lázaro Cárdenas, a mais importante da América Latina, enquanto no município de Cosoleacaque está o Complexo Petroquímico Cosoleacaque.Imagem do local da explosão divulgada pela Secretaria de Segurança do Estado de Veracruz (Foto: Reprodução/Twitter/@SP_Veracruz)
.

Fonte: G1