Imagem do site de monitoramento de voos Flight Radar mostra o trajeto do voo da Tam que retornou a Madri (Foto: Reprodução/Flight Radar)
Três pessoas suspeitas de estarem por trás de uma falsa ameaça de bomba que obrigou um avião a retornar ao aeroporto de Madri, escoltado por um caça da força aérea, foram presas, anunciou a polícia espanhola nesta terça-feira (5).
Em 14 de dezembro, um voo da companhia aérea brasileira TAM, com 315 passageiros e 16 tripulantes, foi obrigado a voltar para Madri 90 minutos após a decolagem em direção a São Paulo, depois que as autoridades aeroportuárias receberam um alerta de um homem que dizia que uma bomba estava a bordo, informou a polícia em um comunicado.
O homem, que falava espanhol com sotaque árabe, havia mencionado este voo antes de anunciar que “hoje pessoas vão morrer” e “Allah Akbar”.

Os passageiros foram evacuados e o avião revistado, mas nenhuma bomba foi encontrada.
Uma investigação policial determinou que o telefonema havia sido feito de uma cabine de telefone de uma cidade da região de Cuenca, no centro de Espanha.

A polícia prendeu dois homens e uma mulher responsáveis pelo falso alarme.
Os três suspeitos teriam ligações com uma brasileira que estava a bordo do avião e que não pode entrar na Espanha devido a uma ordem de um tribunal suíço, segundo o comunicado da polícia, que não fornece outros detalhes.

Eles foram acusados de desordem pública e poderão ter de pagar os custos pelo falso alarme, inicialmente estimados em mais de 200 mil euros, segundo a polícia.
.

Fonte: G1