Homem olha região devastada após terremoto em Portoviejo, no Equador (Foto: Juan Cevallos / AFP Photo)
O Ministério Público do Equador anunciou nesta quarta-feira (20) que registrou 570 mortos, dos quais identificou e entregou aos familiares 526, na província litorânea de Manabí, a mais atingida pelo terremoto que sacudiu o norte do litoral do país no último sábado (16).
Em um relatório divulgado pela internet, o MP equatoriano afirmou que 44 corpos estão em processo de identificação e que 13 são de estrangeiros: três da Colômbia, três de Cuba, dois do Canadá e um de República Dominicana, Inglaterra, Irlanda, Itália e Alemanha.
Manta, com 174 e Pedernales, com 172, são as localidades onde se contabilizam mais mortes, enquanto em Portoviejo foram registradas 118.

Canoa, com 36 mortos, Jama (21), Calceta (11) e Bahía de Caráquez (10) aparecem em seguida em número de vítimas, enquanto outras populações registram menos de dez mortes.
Das vítimas contabilizadas, 250 são homens e 276 mulheres, enquanto 44 ainda não tiveram o sexo determinado.

Dados anteriores oferecidos hoje pelo presidente do país, Rafael Correa, situavam em 525 o número de mortos, com 5.733 feridos e 163 desaparecidos.

O tremor aconteceu às 18h58 locais de sábado (20h58 de Brasília), entre os balneários litorâneos de Cojimíes e de Pedernales, na província de Manabí e limítrofe com a vizinha Esmeraldas.
Após o desastre, o governo equatoriano declarou o estado de emergência nas províncias de Manabí, Guayas, Santo Domingo de los Tsáchilas, Los Ríos e Santa Elena, assim como o estado de exceção em todo o território nacional.

.

Fonte: G1