A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou em cinco das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na terceira prévia de abril. A menor variação partiu de Belo Horizonte, onde a taxa passou de 0,18% para 0,08%.Igrejinha da Pampulha é limpa após pichação, em Belo Horizonte (Foto: Reprodução/TV Globo)
Na sequência, estão Salvador (de 0,28% para 0,19%); Rio de Janeiro (de 0,32% para 0,26%); São Paulo (de 0,46% para 0,29%); Recife (de 0,32% para 0,42%); Brasília (de 0,37% para 0,49%) e Porto Alegre (de 0,89% para 0,85%).

Considerando todas as capitais, da segunda para a terceira prévia de abril, o IPC-S perdeu força e ficou em 0,38%. O resultado foi influenciado pela alta menor dos preços dos alimentos (de 1,07% para 0,81%).

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos educação, leitura e recreação (de 0,12% para  -0,13%); habitação (de -0,22% para -0,28%); transportes (de 0,31% para 0,26%); despesas diversas (de 0,54% para 0,25%) e comunicação (de 0,26% para 0,15%).
Na contramão, aceleraram as taxas dos grupos saúde e cuidados pessoais (de 1,07% para 1,46%) e vestuário (de 0,25% para 0,48%)Veja a variação de preços de alguns itens:Show musical (de 1,52% para 0,77%)Empregados domésticos (de 0,16% para 0,07%)Etanol (de -0,33% para -1,75%)Cigarros (de 0,99% para 0,27%)Mensalidade para TV por assinatura (de 0,42% para 0,00%)Medicamentos em geral (de 1,78% para 3,50%)Roupas masculinas (de 0,38% para 0,68%)Hortaliças e legumes (de 1,30% para -0,89%).

.

Fonte: G1