Sede do BNDES. (Foto: Reuters)
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve prejuízo líquido de R$ 2,174 bilhões no primeiro semestre, ante lucro de R$ 3,515 bilhões em igual período de 2015, afetado, principalmente, por maiores despesas com provisões (que cobrem possíveis calotes). Esse é o primeio prejuízo da instituição desde o primeiro semestre de 2003, quando as perdas chegaram a R$ 2,4 bilhões.

Tais despesas alcançaram R$ 9,588 bilhões no primeiro semestre, frente R$ 1,635 bilhão um ano antes.
“O aumento das despesas com provisões foi provocado, em grande parte, pela revisão do rating de empresas da carteira do BNDES e pelo impairment de investimentos da carteira de participações societárias em empresas não coligadas”, afirmou o banco em comunicado.

De acordo com o BNDES, a despesa com provisão para risco de crédito atingiu R$ 4,438 bilhões no primeiro semestre do ano, contra R$ 480 milhões no mesmo período de 2015 e R$ 988 milhões no segundo semestre do ano passado, “refletindo o cenário econômico brasileiro desfavorável nos primeiros seis meses deste ano”.
O índice de inadimplência do BNDES chegou a 1,38% em 30 de junho.

No fechamento do segundo semestre de 2015, a taxa era de 0,02%.
No primeiro semestre, a carteira de crédito e repasses do BNDES atingiu R$ 646,924 bilhões, uma redução de R$ 48,454 bilhões (7%) em relação a dezembro de 2015.

“O resultado foi influenciado pelo efeito da depreciação do dólar na parcela em moeda estrangeira e pela redução da parcela em moeda nacional, impactada pelo fim do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), em dezembro de 2015.”
.

Fonte: G1