O índice que mede a confiança do setor de serviços subiu 0,4 ponto entre março e abril, passando de 68,9 para 69,3 pontos, segundo a Fundação Getulio vargas (FGV). Confiança do setor de serviços aumentou em abril. (Foto: Ares Soares/Unifor)
Usado no cálculo do ICS, o Índice de Situação Atual (ISA-S) caiu 2,3 pontos no mês, enquanto o Índice de Expectativas (IE-S) subiu 3,1 pontos.

Um dos fatores apontados como entrave à atividade das empresas é a “demanda insuficiente”, que continua em elevado patamar, tendo sido mencionado por  41,2% delas. Nesse mês, o fator “problemas financeiros” alcançou seu recorde histórico ao ser reportado por  11,6% das empresas.

“Nesses primeiros quatro meses houve um movimento de suave recuperação da curva de confiança, que se apoia  nas expectativas empresariais. É provável  que isso reflita a percepção de um iminente desfecho para o impasse político,  o que abriria espaço para uma melhor previsibilidade no campo econômico.

Ainda assim, dado o grau de incerteza presente, é cedo para afirmar que essa reação é sustentável.” avalia Silvio Sales, consultor do FGV/IBRE, por meio de nota.

.

Fonte: G1