Calor faz consumo residencial de energia elétrica crescer em março. (Foto: Reprodução / EPE)
O consumo residencial de energia elétrica cresceu 1,7% em março, em comparação ao mesmo mês do ano anterior, alcançando 11.315 gigawatts-hora, por causa das elevadas temperaturas registradas, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), nesta quinta-feira (28).

“Este resultado, que interrompeu uma sequência de quedas no consumo da classe desde maio, é atribuído às temperaturas mais elevadas em relação ao ano anterior. A economia, com desemprego em alta, crédito caro e renda menor, permanece, por sua vez, inibindo o consumo das famílias.

“, analisou a EPE.
Apesar de voltar a crescer no mês, o consumo residencial de energia mostrou retração de 2,5% no primeiro trimestre do ano, completando quatro trimestres seguidos de retração no consumo.

Isso representa uma sequência inédita de taxas trimestrais negativas observadas no histórico de dados da EPE a partir de 2004, ressaltou o levantamento.
“Este resultado é explicado pela deterioração das condições econômicas, principalmente no que se referem ao mercado de trabalho, atrelada ao peso do reajuste tarifário no orçamento das famílias, lembrando que no primeiro trimestre de 2015, base da comparação, a influência do reajuste foi pequena (o primeiro reajuste, extraordinário, ocorreu em março/2015)”.

.

Fonte: G1