O consumo nos supermercados voltou ao nível de 2010 em volume de compras. Mesmo assim, os consumidores não querem abrir mão do padrão de consumo conquistado nos anos pré-crise.
Os dados são de uma pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (APAS), realizada em parceria com as empresas Nielsen e Kantar Worldpanel.

O estudo foi divulgado nesta segunda-feira (2) durante a 32ª Feira e Congresso de Gestão Internacional APAS 2016, em São Paulo.
Segundo o levantamento, em 2015, o número de idas ao supermercado por domicílio caiu de 85 para 81 vezes no ano.

O número de produtos comprados em cada ida ao supermercado também caiu, com redução de 1,5%.
Para manter compra de cerveja mais cara, por exemplo, classe C escolhe produtos de limpeza mais baratos
Mesmo assim, após o aumento do consumo nos anos anteriores, especialmente entre 2008 e 2010, os consumidores elegem produtos dos quais não querem abrir mão.

A classe C, por exemplo, não deixou de comprar produtos considerados “premium”, como cervejas, e para isso procura economizar comprando marcas mais baratas de produtos de limpeza e outras categorias que não considera prioridade.Crise econômica e o setorPara 2016, o setor de supermercados espera faturar R$ 336 bilhões, um crescimento nominal de 6,5% – taxa menor que a registrada no ano passado, de 7%, com faturamento de R$ 315,7 bilhões.

A variação real (descontada a inflação), no entanto, foi de queda de 3,6%. Segundo a Apas, essa queda real é uma demonstração do aumento do desemprego e da queda da reda dos consumidores de uma maneira geral.

Para se adaptar ao novo cenário, a associação diz que a meta do setor é se ajustar às novas necessidades dos consumidores em meio ao cenário de crise, identificando as categorias de produtos que devem apresentar queda ou alta nas vendas.
.

Fonte: G1