O dólar fechou queda em relação ao nesta quinta-feira (4), repercutindo o corte dos juros britânicos e fluxos de entrada de recursos externos relacionados a operações corporativas.
A moeda norte-americana caiu 1,43% em relação ao real, cotada a R$ 3,1945 na venda. Veja a cotação do dólar hoje.

Este é o menor valor de fechamento desde o dia 21 de julho do ano passado, quando a moeda terminou o dia cotada a R$ 3,1732. Na mínima do dia, o dólar chegou a R$ 3,1991 nesta quinta.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:Às 9h10, queda de 0,40%, a R$ 3,2276.Às 9h20, queda de 0,43%, a R$ 3,2267Às 9h49, queda de 0,38%, a R$ 3,2284Às 10h49, queda de 0,25%, a R$ 3,23254Às 11h40, queda de 0,76%, a R$ 3,2161Às 12h20, queda de 0,78%, a R$ 3,2155Às 12h49, queda de 0,78%, a R$ 3,2041Às 13h09, queda de 1,1%, a R$ 3,205.

Às 13h59, queda de 0,93%, a R$ 3,2106Às 14h52, queda de 0,97%, a R$ 3,2093Às 15h49, queda de 1%, a R$ 3,2084Às 16h39, queda de 1,41%, a R$ 3,195A Bovespa fechou no maior patamar do ano.
Segundo a Reuters, investidores receberam bem o corte de juros do banco central britânico, que cortou sua taxa pela primeira vez desde 2009 e informou que vai comprar mais 60 bilhões de libras em títulos públicos para amortecer o impacto do referendo que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia.

Juros mais baixos no Reino Unido tendem a aumentar a atratividade relativa de ativos que oferecem rendimentos altos, como no Brasil, motivando uma tendência de valorização do real. Além disso, parte dos capitais injetados pelo banco central britânico na economia tende a migrar para mercados emergentes.

Queda do dólar nesta 5ª
Operadores citam entrada de dólares no país relacionada a operações corporativas
Mercado segue atento ao cenário político, após a aprovação de relatório pela Comissão do Impeachment, mas ainda em dúvida sobre o ajuste fiscal
BC interfere no câmbio com operação que equivale a compra de dólares
No cenário externo, decisão do BC da Inglaterra de cortar juros motiva tendência de valorização do real
“As medidas do Banco da Inglaterra dão alento ao mercado, confirmam as expectativas de que os bancos centrais estão atentos a qualquer volatilidade”, disse à Reuters o operador da corretora Correparti Ricardo Gomes da Silva.Cenário local e atuação do BCNo cenário local, investidores esperam que o Brasil receba cada vez mais recursos externos daqui para frente, após anúncios de diversas captações externas.

Na véspera, a Vale vendeu US$ 1 bilhão em títulos internacionais, seguindo-se a emissões de empresas como Petrobras e Marfrig.
No cenário político, a Comissão Especial do Impeachment aprovou nesta quinta-feira, por 14 favoráveis e 5 contrários, o relatório que diz que a presidente afastada Dilma Rousseff cometeu ilegalidades e recomenda que o caso seja levado a julgamento final.

Segundo a Reuters, alguns esperam que o julgamento do impeachment sirva de gatilho para atrair mais investimento, revertendo a tendência de saídas financeiras que vem sendo apontada pelos dados do Banco Central há meses.
Porém, os investidores continuavam preocupados com as dificuldades que o governo do presidente interino Michel Temer pode enfrentar para aprovar medidas de ajuste fiscal no Congresso Nacional, segundo a Reuters.

“O mercado sabe que não vai ser fácil conseguir a colaboração do Congresso para controlar o crescimento do gasto público”, disse à Reuters o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado.
Nesta manhã, o Banco Central brasileiro vendeu novamente 10 mil swaps reversos, contratos que equivalem a compra futura de dólares, o BC vem atuando dessa forma quase diariamente desde o mês passado.

Na quarta-feira, o dólar fechou em queda de 0,77%, a R$ 3,2408 na venda. Na semana, a moeda fica praticamente estável, com variação positiva de 0,06%.

No acumulado de 2016, o dólar recua 17,9% até esta quarta-feira.Dólar chegou a ser vendido abaixo de R$ 3,20 nesta quinta (Foto: Murilo Zara/TV Fronteira)
.

Fonte: G1