Pegadinha ‘Jantar da vingança’, do Reclame Aqui, mostra executivos provando mau atendimento (Foto: Reprodução/YouTube)
Após o vídeo “O Jantar da Vingança” viralizar durante o fim de semana, o Reclame Aqui deu mais detalhes nesta segunda-feira (2) sobre a produção da campanha em forma de “pegadinha” feita com executivos de algumas das empresas mais reclamadas pelos consumidores.
O presidente do Reclame Aqui, Mauricio Vargas, reconhece que a ação foi “muito abusada”, mas garante que os personagens são reais e que foram tomadas precauções para não expor as empresas e os executivos que aparecem no vídeo.
“Temos reações gravadas, que vão ser queimadas, de pessoas que ficaram emputecidas.

Foi uma coisa muito abusada, mas tivemos a precaução de conversar para explicar o que que aconteceu, até mesmo para que o ambiente do restaurante fosse protegido”, disse Vargas ao G1.
No filme, produzido pela agência Grey para comemorar os 15 anos do site conhecido por centralizar reclamações de consumidores e elaborar rankings, executivos convidados para a inauguração de um restaurante aparecem sendo propositalmente mal atendidos.

Veja o vídeo102 executivos receberam o conviteSegundo o Reclame Aqui, a campanha teve uma preparação de 6 meses, incluindo criação e brainstorms, e foi produzida durante 1 semana. No total, 102 executivos da lista de empresas mais reclamadas e não reco mendadas foram convidados para a inauguração de um novo restaurante, de nome fictício, durante 3 dias de degustação.

“Não sabemos quais são os nomes, nossa produção, o marketing, só passou a listagem de 200 empresas e eles [agência Grey] escolheram. Resultado: desses 100, foram nove.

Dos 9 que filmamos, escolhemos 3″, explica Vargas.
Segundo o Reclame Aqui, os 3 executivos que aparecem no vídeo foram avisados de que se tratava se uma campanha do site e “toparam” participar.

“Não queremos de maneira nenhuma magoar as pessoas que estavam ali, é uma situação mesmo e os caras entenderam. Três entenderam”, diz ele.

“Mesmo se não topassem, nós íamos borrar o rosto e apresentar, correndo o risco”, acrescenta.
Até as 17h15 desta segunda-feira, o vídeo contabilizava 471 mil visulaizações no canal do Reclame Aqui no YouTube e mais de 306 mil compartilhamentos na página da marca no Facebook.

Para Vargas, o sucesso do vídeo e o baixo número de “não gostei” e “dislikes” mostram que os consumidores se sentiram representados no mundo.
Sobre o mau atendimento proposital feito na pegadinha e o risco da ação poder ser interpretada como de má-fé, o Reclame Aqui argumenta que o objetivo da campanha é mostrar que o consumidor não aceita mais o mau atendimento.

“A ideia era passar que existe um modus operandi no país de mau atendimento. Queremos mostrar para esses empresas que eles também fazem esse mau atendimento, e se eles sentissem na pele o que fazem no dia a dia das suas companhias poderiam nos dar uma reação, como deram, para a gente viralizar esse vídeo”, afirma Vargas.

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) informou não ter recebido até o momento nenhuma reclamação contra a campanha.
.

Fonte: G1