Retomar contatos e trocar cartão de visita são boas estratégias de networking (Foto: Vincent Hazat/Altopress)
Criar e estabelecer uma rede de contatos profissionais – o chamado networking – é um dos pontos de partida na procura de uma nova oportunidade de trabalho. A palavra em inglês parece assustadora, mas se utilizada com cuidado pode movimentar seu lado profissional. Especialistas no tema conversaram com o G1 e dão dicas práticas de como investir seu tempo compartilhando experiências e fazendo conexões.

 
Para o coach comercial Carlos Felicíssimo, inicialmente é mais fácil “estabelecer relações com pessoas do seu mundo” que possam oferecer relações de troca. Retomar contato com colegas de trabalho, amigos de faculdade, professores de cursos ou até mesmo familiares pode ser uma boa estratégia.

Simpósios, palestras e feiras também são ótimos ambientes para encontrar pessoas do meio profissional. A dica, então, é sempre ter um cartão de visitas no bolso e não hesitar em se apresentar à outras pessoas.

 
Isis Borge, gerente de divisão da Robert Half, afirma que muitas pessoas, ao buscar um emprego, se fecham para novas oportunidades por vergonha da situação em que se encontram. “O segredo é não ter receio.

Preste atenção ao seu redor e não tenha medo de abordar pessoas da sua área”, diz. Mas tenha cautela para não parecer insistente ou deselegante.

Segundo Ricardo Ribas, gerente executivo da Personal Page, “deve-se investir em quem quer ajudar. Não vale a pena forçar uma situação”.

 
É fundamental tornar o networking um hábito. “Estruturar uma rede de contatos leva tempo e não se faz do dia para a noite”, diz o coach.

 Felicíssimo considera o networking uma via de mão dupla, pois é importante investir tempo e também ser uma intenção recíproca. “Quando você mostra disposição e real interesse na história do outro você constrói um verdadeiro networking”, diz.

Afinal, o networking é um momento de troca e é possível também aprender novas práticas profissionais com o outro. 
Uma rede de contatos deve ser alimentada sempre e não apenas nos momentos de procura de um novo emprego.

Pois, quem lembra dos “amigos” só para pedir auxílio pode ser visto com maus olhos. “Marque cafés, almoços com pessoas diferentes, para não perder o contato”, comenta Isis Borge.

 
Ferramentas online como o Linkedin, Facebook ou WhatsApp podem ser bons meios para o primeiro contato com um profissional. “É importante listar pessoas importantes da área de interesse e descobrir, através das redes, onde elas estão trabalhando”, comenta Isis.

Enviar um e-mail de apresentação ou mesmo buscar encontrar pontos em comum com a pessoa que receberá a mensagem pode ser uma boa saída. 
Felicíssimo acredita que o networking pode e deve ser feito através de ferramentas online.

Mas é preciso cautela. “As redes sociais podem afastar o contato visual.

Independentemente de onde você criou esse networking, tente encontrar essa pessoa ao vivo”. A quantidade de pessoas que uma pessoa possui no Facebook não necessariamente garantirá sucesso na procura de emprego.

Ter conexões é diferente do que estabelecer um networking. “Você tem que movimentar os seus contatos com um objetivo.

“Ter poucas e boas conexões é a forma mais efetiva de encontrar oportunidades”, acredita Felicíssimo, “possuir centenas de conexões no Linkedin pode ser uma ilusão”. *Sob supervisão de Laura Naime
.

Fonte: G1