Tela de abertura do Linkedin (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Muitos recrutadores já consideram a rede social LinkedIn como a principal “vitrine” dos candidatos a uma vaga de emprego. Se bem utilizada, ela pode ser uma ferramenta eficiente para criar uma sólida rede de contatos profissionais e ser o canal de encontro para o emprego desejado.
Mas é preciso tem bom senso ao usar a rede social, sob o risco de ficar “queimado” em seu meio com abordagens que podem ser consideradas invasivas ou fora de contexto por outros profissionais da área.

A gerente de comunicação do LinkedIn Fernanda Brunsizian recomenda que o usuário se conecte apenas com quem ele realmente conhece no mundo profissional. “São elas que ajudam na curadoria do conteúdo que você consome na sua timeline”, diz a executiva.

Veja abaixo o passo a passo de como preencher seu perfil no LinkedIn:Passo a passo de como preencher seu perfil no LinkedIn (Foto: Reprodução/LinkedIn)1. Use uma foto de boa qualidade, de preferência em ambiente profissional.

2. Preencha o cabeçalho com sua posição atual ou então escreva uma mensagem que reflita seus objetivos profissionais.

3. Costumize o URL do seu perfil para que você seja mais facilmente encontrado.

4. No resumo, escreva aproximadamente 300 palavras em um texto narrativo em primeira pessoa, use verbos ativos.

Use tom pessoal na mensagem.5.

Em “experiência”, descreva sua função com palavras-chave para ajudar nas buscas, e evite copiar e colar seu currículo no perfil.6.

Use apresentações, vídeos e infográficos para destacar sua experiência e adicione conteúdos ao seu perfil, como em um portifólio.Foto e competênciasSuas chances de ser encontrado na rede social aumentam muito se você colocar um foto em bom estado e descrever suas qualidades e conquistas profissionais na descrição do perfil.

Resumo e experiênciaÉ muito importante incluir palavras-chave no seu resumo, já que é por ele que você será encontrado pelos recrutadores. Na experiência profissional, abuse de conteúdos multimídia para melhorar a qualidade do seu perfil.

Trabalhos voluntários e causasO LinkedIn abre espaço para o usuário adicionar causas que defende e a experiência com trabalhos voluntários, algo bastante valorizado pelos recrutadores de profissionais, segundo a rede social.VEJA ABAIXO DICAS DOS ESPECIALISTAS PARA USAR MELHOR O LINKEDIN:
Em vez de entrar em contato com profissionais para pedir um emprego, é preferível manter sempre um bom relacionamento com suas conexões tanto na rede social como fora dela, sugere Fernanda, do LinkedIn.

“Esse networking o ajudará futuramente quando estiver em busca de uma nova posição no mercado, pois automaticamente essas conexões profissionais lembrarão de você quando tiver uma vaga aberta na empresa onde elas trabalham”. Outra sugestão é rejeitar convites de contatos desconhecidos ou que não agregam valor a sua rede.

Enviar felicitações e começar discussões é uma boa forma de se relacionar na rede.
Um dos recursos permite ver quem interagiu com suas publicações (posts) e o grau de relacionamento destas pessoas com você, para medir seu alcance na rede.

“É legal colocar artigos que você está lendo e que acha importantes”, sugere. Se você tem textos publicados deve colocá-los no LinkedIn e também eu outras redes sociais como o Facebook, orienta Karpat.

Antes de fazer qualquer busca, é importante que seu perfil esteja completo, recomenda a gerente de comunicação do LinkedIn. Para encontrar vagas de emprego dentro dos seus objetivos, coloque apenas palavras-chave referentes à sua profissão e tente filtrar o máximo que conseguir, colocando as especificidades de região (como a cidade) e cargo, para ter um resultado melhor.

Também é possível fazer a busca avançada, com mais campos e filtros.
Karpat, da Gabor Recursos Humanos, lembra que é imprescindível atualizar constantemente o conteúdo da rede social para ganhar mais visibilidade.

Se você está fazendo um curso no momento, por exemplo, pode incluir essa informação para que seus contatos saibam que você está aprimorando seus conhecimentos.
No canto direito da tela, a rede social mostra sugestões de grupos por temas relacionados a palavras-chave de seu interesse.

Também é possível achá-los pelo recurso de pesquisa. Neles, é possível encontrar outros profissionais com interesses em comum e debater assuntos ligados a sua área profissional.

Lá, costuma-se publicar conteúdos e anunciar vagas de emprego.
Fernanda observa que é importante preencher todos os campos do perfil para que não fiquem lacunas.

“O perfil deve ter uma boa foto, um resumo conciso, palavras-chave sobre sua carreira e experiências profissionais detalhadas. Para se ter uma ideia, um perfil com foto é 21 vezes mais visualizado do que o restante.

Com isso, o sistema consegue sugerir melhor as vagas de acordo com seu perfil”, afirma.
A descrição da experiência profissional e da formação acadêmica no LinkedIn pode ser mais extensa do que em um currículo tradicional, orienta Ricardo Karpat, especialista em RH da Gabor Recursos Humanos.

“Quanto mais palavras-chave [tags] você colocar, mais chances terá de ser encontrado por recrutadores e outros contatos”, diz. 
“Procure deixar no LinkedIn apenas informações relacionadas a sua vida profissional, pois isso deixará seu perfil mais objetivo e de mais fácil entendimento para o recrutador na hora que ele for analisar”, recomenda a gerente do LinkedIn.

Ela diz que o ideal é que esse tipo de conteúdo (fotos de viagens e conteúo pessoal) seja utilizado em outras redes, onde você pode falar mais de sua vida pessoal. “Existem outros campos relacionados a experiência pessoal, que podem ser preenchidos dentro do LinkedIn, como por exemplo, as causas que você apoia.

Isso ajuda o recrutador a saber se os valores da empresa ferem ou não os seus valores pessoais”, comenda Fernanda.
.

Fonte: G1