A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou nesta terça-feira (10) a nota em moeda estrangeira da Samarco em quatro níveis, de BB- para CCC. Com isso, o rating da empresa passa a ser classificado como de “alto risco de inadimplência”, o mais baixo na escala de notas de crédito.
Segundo a Fitch, o corte reflete a visão de que a Samarco não obterá as licenças necessárias para recomeçar suas operações antes de ficar sem dinheiro este ano.

Para a agência, sem as licenças, a Samarco ficará sem recursos para reparar suas obrigações de dívida de curto prazo entre os meses de agosto de outubro, o que pode levar a uma reestruturação de sua dívida”.
Este mês, o Ministério Público Federal (MPF), que investiga o desastre causado pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, informou que uma ação contras as mineradoras Samarco, Vale e BHP, pede R$ 155 bilhões em reparação aos danos causados.

O rompimento da barragem de Fundão, que pertence à mineradora Samarco, cujas donas são a Vale e a BHP Billiton, destruiu o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, e afetou outras localidades, além das cidades de Barra Longa e Rio Doce.
Os rejeitos também atingiram mais de 40 cidades na Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo.

Dezenove pessoas morreram. Um corpo ainda está desaparecido.

O desastre ambiental é considerado o maior e sem precedentes no Brasil.
.

Fonte: G1