Secretário-adjunto de Fazenda, Wilson José de Paula, usando sistema utilizado por fiscais do GDF (Foto: Gabriel Luiz/G1)
A Secretaria de Fazenda do Distrito Federal informou nesta terça-feira (29) ter identificado R$ 460 milhões em tributos não declarados em 2015. O valor é 293% maior que o número relativo a 2014 (R$ 117 milhões), e 995% superior comparado a 2013 (R$ 42 milhões).
Segundo o secretário-adjunto de Fazenda, Wilson José de Paula, o diagnóstico foi possível graças à tecnologia disponível na secretaria.

Ao todo, um grupo de 100 servidores trabalha exclusivamente monitorando transações econômicas, em tempo real. “Esse imposto era devido e se não fosse essa ferramenta, a gente não teria alcançado [os devedores].


Em entrevista ao G1, o secretário deu exemplos de “flagras” de pessoas que ocultam valores ao Fisco. Até as 16h desta terça, 139 empresas que deveriam estar encerradas continuavam fazendo compras nos últimos dez dias.

O valor das transações chega a R$ 557,6 mil.
Uma vez percebidos esses casos, o contribuinte é autuado e pode recorrer em até duas instâncias.

Depois disso, ainda é possível levar o caso à Justiça. Na estimativa do secretário-adjunto, 40% dos R$ 460 milhões devem voltar em até 1,5 ano aos cofres públicos – em meio a um esforço do governo para aumentar a arrecadação.

Os valores que são “recuperados” fazem diferença, declarou o gestor. “Mais importante do que autuar é aumentar a sensação de risco para o contribuinte.

Ele tem de perceber que está sendo monitorado porque assim é possível promover uma Justiça fiscal.”
Por ano, são investidos em média R$ 20 milhões na modernização dos sistemas usados pela secretaria, informou o órgão.

Em 2015, o GDF arrecadou R$ 13,6 bilhões.
.

Fonte: G1