Bombeiros combatem as chamas remanescentes do acidente no Golfo do México em foto de arquivo de abril de 2010 (Foto: U.S. Coast Guard/Handout/Files/Reuters)
Um juiz federal em Nova Orleans aprovou segunda-feira (4) o acordo de US$ 20 bilhões em indenizações pelo vazamento de petróleo da petroleira britânica BP no Golfo do México em 2010.A explosão da plataforma em 20 de abril de 2010, o pior desastre de petróleo em mar da história dos EUA, matou 11 trabalhadores e derramou milhões de barris de petróleo nas costas de vários Estados por quase três meses.
O acordo aprovado nesta segunda inclui US$ 5,5 bilhões em penalidades civis pela lei norte-americana Clean Water Act e outros bilhões para cobrir o dano ambiental e outras reivindicações de cinco estados do Golfo e governos locais.

O dinheiro deve ser pago ao longo de cerca de 16 anos.O Departamento de Justiça dos EUA estima que o acordo deve custar US$ 20,8 bilhões à petroleira, o maior acordo ambiental da história dos EUA e o maior acordo civil com uma única entidade.

Em julho de 2015, a BP anunciou que iria pagar até US$ 18,7 bilhões em penalidades para o governo dos Estados Unidos e cinco Estados para resolver a maioria das reivindicações ligadas ao vazamento de petróleo. Na época, o negócio ainda estava pendente de aprovação do tribunal.

Em outubro daquele ano, os Estados Unidos anunciaram que o acordo seria de mais de US$ 20 bilhões.”Uma vez aprovado pelo tribunal, este acordo vai lançar um dos maiores esforços de restauração ambiental que o mundo já viu”, afirmou a então procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, na ocasião.

Em 20 de abril, a explosão de uma plataforma de petróleo matou 11 pessoas e causou o pior vazamento de óleo da história dos EUA. Cerca de cinco mil barris de óleo fluíram diariamente por três meses até o vazamento ser contido, em julho (Foto: Gerald Herbert/AP)
.

Fonte: G1