A ministra da Agricultura usou sua conta no Twitter para informar que permanecerá no governo Dilma (Foto: Reprodução / Twitter)
Um dos seis integrantes do PMDB na Esplanada dos Ministérios, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou nesta quarta-feira (30), em sua conta pessoal no microblogTwitter, que permanecerá no comando da pasta.
A mensagem foi publicada um dia após o Diretório Nacional do PMDB ter anunciado o rompimento com o Palácio do Planalto e determinar que todos os integrantes do partido entreguem seus cargos no Executivo federal.
“Continuaremos no governo e no PMDB.

Ao lado do Brasil no enfrentarmos [sic] da crise. Deixamos a presidente à vontade caso ela necessite de espaço para recompor sua base.

O importante é que na tempestade estaremos juntos”, escreveu a ministra da Agricultura na rede social.
Além de Kátia Abreu, o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, também já declarou publicamente que permanecerá à frente da pasta, mesmo com a determinação partidária para deixar o cargo.

Segundo apurou o G1, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, também já disse a interlocutores que continuará no governo.
Atualmente, das 32 cadeiras da Esplanada dos Ministérios, o PMDB comanda seis.

Além da Agricultura, os peemedebistas estão à frente de Saúde, Ciência e Tecnologia, Portos, Minas e Energia e Aviação Civil.
Até a última segunda (28), o Ministério do Turismo também era chefiado pelo PMDB, mas o ministro Henrique Eduardo Alves – um dos aliados mais próximos do vice-presidente Michel Temer – se antecipou à demissão partidária e pediu demissão um dia antes de a sigla determinar o afastamento de seus filiados do governo.

No início da tarde desta quarta, apesar de já estar em vigor a determinação para se desligarem da Esplanada, Kátia Abreu, Celso Pansera e Marcelo Castro participaram do evento de lançamento da terceira fase do programa Minha Casa, Minha Vida no Palácio do Planalto. Na solenidade, os três ministros do PMDB se recusaram a falar com a imprensa.

.

Fonte: G1