Funcionários da BR Distribuidora e da Liquigás entraram em greve à 0h desta segunda-feira (15) em pelo menos quatro estados contra o possível novo modelo de controle das empresas.Manifestação ocorre em diversos estados. (Foto: Ive Rylo/G1 AM)No ano passado, o conselho da BR havia aprovado a venda de pelo menos 25% da unidade de distribuição de combustíveis da estatal.

Na ocasião, a empresa informou que foram recebidas três propostas, que após análise, “não atenderam aos objetivos da Companhia”. Com isso, o atual processo de venda foi encerrado.

Em julho deste ano, o Conselho de Administração da Petrobras aprovou a alteração do modelo de venda de uma parte da BR Distribuidora. Pelo novo modelo, a Petrobras deverá compartilhar o controle de sua unidade de distribuição de combustíveis.

Veja a situação nos estados:Minas GeraisO sindicato que representa as duas empresas e cerca de 50 empregados fazem manifestação nesta manhã em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Sitramico-MG), Leonardo Freitas, a motivação da greve é a possível privatização das empresas.

“Somos contra a privatização. Repudiamos e não aceitamos porque não sabemos como ficarão os empregos.


A manifestação era feita em frente à portaria principal da BR Distribuidora e, de acordo com o sindicalista, cerca de 200 caminhões estavam do lado de fora da base e eram impedidos de entrar e serem carregados. Freitas explicou que em princípio a greve seguirá até a próxima sexta-feira (19) – data em que será realizada uma assembleia para avaliar os rumos do movimento.

PernambucoDesde as 7h, nenhum caminhão teve permissão para entrar na área de abastecimento da base da BR Distribuidora, da Petrobras, no Complexo Industrial e Portuário de Suape, no Grande Recife. Por dia, 300 veículos recebem gasolina para levar para as revendedoras no estado e para outras cidades do Nordeste.

A paralisação tem o apoio de outros sindicatos, como o que defende os petroleiros.
Por causa do movimento, postos de três bandeiras sentirão mais o impacto e poderão ficar sem gasolina para revender: Petrobras, Ipiranga e Shell.

“Essas empresas usam a base de Suape para abastecer os caminhões. Acredito que hoje à tarde alguns postos deverão ficar sem combustível.

Os caminhões realmente não estão entrando na base”, afirmou o presidente da entidade no estado, Valmir Falcão.AmazonasFuncionários da Refinaria de Manaus (Reman) paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira.

O ato, que deve durar cinco dias, é contra a privatização da Petrobras. A manifestação ocorreu em frente à sede do estabelecimento, no Distrito Industrial 1, Zona Sul da capital.

O protesto afetou a passagem de veículos no local.
.

Fonte: G1