A produção industrial caiu em 11 de 15 locais pesquisados em junho na comparação com o mesmo mês de 2015, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).
Produção na indústria
Acumulado em 12 meses, variação em %
Fonte: IBGE
No Brasil, a redução anual na produção industrial em junho foi de 6%. A queda mais intensa nessa base de comparação também foi verificada no Espírito Santo (-27,9%), puxada pelo recuo na produção das indústrias extrativas (minérios de ferro pelotizados).

Amazonas (-8,5%), Pernambuco (-7,5%), Bahia (-6,7%) e Paraná (-6,2%) também apontaram resultados negativos mais acentuados do que a média nacional. Minas Gerais (-5,7%), Goiás (-4,5%), Ceará (-3,1%), São Paulo (-3,1%), região Nordeste (-2,9%) e Rio de Janeiro (-2,8%) completaram o conjunto de locais com taxas negativas nesse mês.

Pará (14,7%) e Mato Grosso (12,2%) tiveram os avanços mais elevados em junho de 2016. No caso do Pará, o resultado foi impulsionado pelas indústrias extrativas (minérios de ferro em bruto).

Já as indúistrias de Mato Grosso foram ajudadas pelo setor de produtos alimentícios (rações, carnes de bovinos congeladas, frescas ou refrigeradas, óleo de soja em bruto, tortas, bagaços, farelos e outros resíduos da extração do óleo de soja e carnes e miudezas de aves congeladas). A produção no Rio Grande do Sul (3,3%) e em Santa Catarina (0,6%) também cresceu.

Indústria registrou queda na maioria dos locais pesquisados em junho na comparação com 2015 (Foto: Reprodução / TV Globo)Maioria das regiões teve alta mensalO crescimento na produção industrial nacional na passagem de maio para junho de 2016 foi acompanhada por 9 dos 14 locais pesquisados. Os avanços mais intensos ocorreram no Rio de Janeiro (5,7%), Santa Catarina (5,4%), Pará (4,9%), Rio Grande do Sul (4,6%) e Paraná (3,5%).

Ceará (2,0%), São Paulo (1,5%), Goiás (1,4%) e Pernambuco (1,2%) completaram o conjunto de locais com índices positivos em junho de 2016.
Espírito Santo (-9,8%) apontou o resultado negativo mais acentuado nesse mês e eliminou o crescimento de 5,6% verificado no mês anterior.

As demais taxas negativas foram assinaladas por Bahia (-1,0%), região Nordeste (-0,3%) e Amazonas (-0,3%), enquanto Minas Gerais (0,0%) repetiu o patamar registrado em maio.Indústria em queda no acumulado de 2016No acumulado de janeiro a julho deste ano, a produção na indústria caiu em 12 dos 15 locais pesquisados.

O recuo na média nacional no período foi de 9,1%, sendo que três locais apresentaram recuo maior: Espírito Santo (-22,6%), Pernambuco (-17,6%) e Amazonas (-16,8%).
Também tiveram queda Minas Gerais (-8,7%), São Paulo (-8,6%), Rio de Janeiro (-8,3%), Paraná (-8,2%), Goiás (-7,0%), Santa Catarina (-6,1%), Ceará (-5,4%), Rio Grande do Sul (-4,4%) e região Nordeste (-3,0%).

Bahia ficou estável frente a igual período do ano anterior, enquanto Mato Grosso (11,9%) e Pará (10,3%) registraram avanços no índice acumulado no ano.
Já no acumulado em 12 meses, a produção na indústria recuou em 13 dos 15 locais pesquisados.

.

Fonte: G1