No início de agosto, Salvador registrou a maior inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) entre as capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O aumento de preços foi de 0,43%, no final de julho, para 0,72% na primeira semana de agosto.Ruas do Pelourinho, em Salvador.

(Foto: Juliana Almirante/G1)
Na sequência, entre as maiores altas estão Porto Alegre (de 0,67% para 0,7%), Recife (de 0,61% para 0,67%), Rio de Janeiro (de 0,50% para 0,48%), Brasília (de 0,41% para 0,37%), Belo Horizonte (de 0,09% para 0,37%) e São Paulo (de 0,07% para 0,18%).
A queda que vinha sendo registrada no preço das frutas perdeu força e contribuiu para que a inflação medida pelo IPC-S, considerando todas as capitais, perdesse força no início de agosto.

De acordo com a FGV, a taxa variou 0,46%, depois de fechar julho em alta de 0,37%. Na análise dos grupos de despesa, a maior contribuição partiu do relativo a alimentação (de 0,39% para 0,72%).

Também subiram mais os preços de educação, leitura e recreação (de 0,71% para 1,06%), vestuário (de 0,18% para 0,31%), transportes (de 0,25% para 0,32%), saúde e cuidados pessoais (de 0,85% para 0,87%) e comunicação (de 0,17% para 0,18%).
Na contramão, registraram quedas os grupos de gastos com habitação (de 0,14% para -0,01%) e despesas diversas (de 0,49% para 0,31%).

Veja a variação de preços de alguns itens:Condomínio residencial (de 0,84% para -0,15%)Tarifa postal (de 8,30% para 6,02%)Show musical (de 4,76% para 9,49%)Roupas (de -0,01% para 0,19%)Gasolina (de 0,22% para 0,59%)Artigos de higiene e cuidado pessoal (de 2,14% para 2,38%)Mensalidade para internet (de 0,88% para 1,11%)Frutas (de -7,40% para -3,09%)
.

Fonte: G1