As bonecas e os bonecos são os líderes de vendas – representam 40% dos negócios (Foto: Marta Cavallini/G1)
O setor de brinquedos apresenta nesta semana para o varejo 1,5 mil lançamentos de 150 empresas, entre nacionais e importadoras, para atender principalmente as vendas do Dia das Crianças e Natal. O G1 esteve na Feira Brasileira de Brinquedos, promovida pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) no Expo Center Norte, em São Paulo, que vai até sexta-feira (8), apenas para os profissionais do setor.
Como nos anos anteriores, os fabricantes apostam na tecnologia e na tradição, para atender a todos os públicos, incluindo adultos colecionadores.

Com um leque de opções diversificado, a indústria do brinquedo mira não somente a diversão, mas também o estímulo intelectual e da criatividade, a interatividade e o desenvolvimento afetivo.  
“Nove mil ideias foram testadas e foram aprovadas 1,5 mil.

O setor tem 3 mil designers trabalhando todos os dias”, diz o presidente da Abrinq, Synésio Batista da Costa.
Segundo ele, o faturamento do setor em 2015 é estimado em R$ 9,5 bilhões e representa alta de 15,6% em relação a 2014.

A expectativa para 2016 é de crescimento de 15%.
A indústria nacional de brinquedos está sendo favorecida pela alta do dólar desde o ano passado, de acordo com a Abrinq.

A variação da moeda americana influenciou na retomada de 10% da fabricação nacional ante os importados, com saldo final de 55% de participação nos negócios. “Só dos chineses, que são nossos maiores concorrentes em solo nacional, tiramos 5%”, afirma Costa.

A importação caiu 4% em 2015. A previsão de Costa é que neste ano a queda seja de 20%.

Em janeiro, com o dólar batendo os R$ 4, os grandes players não foram às compras”, diz.
O presidente da Abrinq diz que a previsão é que até 2021 a proporção no mercado seja de 70% com a fabricação nacional e 30% de importados.

O setor de brinquedos tem 378 fábricas no país, que empregam 31,2 mil pessoas.
Mas a alta do dólar também ajudou na alta do preço dos brinquedos em 2015, já que uma grande parcela da indústria ainda é baseada nas importações.

Apesar de os aumentos estarem abaixo da inflação oficial de mais de 10% no país, o ano de 2015 foi atípico, segundo Costa, com a alta expressiva de preços nos brinquedos em novembro (2,05%) e dezembro (3,67%). Segundo ele, os motivos foram aumento na mão de obra, nos tributos e da matéria-prima.

De acordo com Costa, nos últimos cinco anos houve um aumento do tíquete médio e da compra de brinquedos per capita, que passou de 5 a 6 brinquedos por criança para 7 a 8. “E são 13 mil novos nascimentos por dia”, diz.

O tíquete médio registrou predomínio das faixas de R$ 31 a R$ R$ 50 e de R$ 51 a R$ 100, que juntas representaram mais de 41% das compras.Muitos brinquedos, como o Dino Mundi, são jogados com tablets e smarphones – nesse caso, é preciso baixar aplicativos que trazem o brinquedo para uma espécie de realidade aumentada, onde personagens ganham movimento e até vida própria (Foto: Marta Cavallini/G1)NovidadesNeste ano, as fabricantes investiram pesado em brinquedos que levam a experiência da tecnologia desde cedo para as crianças.

Muitos deles podem ser jogados tanto offline como online – nesse caso, é preciso baixar aplicativos que trazem o brinquedo para uma espécie de realidade aumentada, onde personagens ganham movimento e até vida própria. Os conhecidos personagens de desenhos animados e filmes de animação também predominam, repaginados com mais tecnologia e novas funções.

Há ainda bonecas e bichos de pelúcia que comem, falam mais de um idioma e repetem o que a criança fala, veículos que fazem a criança se sentir motorista desde cedo, e jogos que fizeram a cabeça de gerações anteriores que retornam para conquistar os filhos de quem os jogou na infância.
A indústria investiu ainda no estímulo da criança a pensar a própria brincadeira, criando experiências a partir do brinquedo, como cozinhar, costurar, fazer sorvete ou pulseiras de miçanga, por exemplo.

O brinquedo mais caro em exibição na feira é o veículo Silverado para duas crianças com peso total de 70kg. O preço sugerido da fabricante Biemme é R$ 3.

955 – R$ 500 a mais em relação ao ano passado -, mas nas lojas pode passar de R$ 5 mil. No veículo só há acelerador, não há freio, mas atinge apenas 4 km/h, e é indicado para crianças entre 3 e 6 anos.

O carro ainda tem rádio, MP3 e acende os faróis, além de um câmbio que vai para frente e para trás.
As bonecas e os bonecos são os líderes de vendas – representam 40% dos negócios.

  Costa afirma que a tecnologia veio para ficar, mas os brinquedos tradicionais têm grande peso na preferência dos pequenos. “O celular não compete com os brinquedos.

Brincar é tocar, jogar, cair, cansar. O celular cansa a criança e a coloca no nosso colo”, diz.

Segundo ele, o melhor cliente é o público de 0 a 3 anos, a chamada primeira idade. “Dá 40% dos negócios”, diz.

Veja abaixo os lançamentos por fabricantes:BRINQUEDOS ANJO: O boneco Fofão, personagem icônico da década de 80, que ganhou nova versão (Foto: Marta Cavallini/G1) ABRAKADABRA: A linha “Eu Estilista” permite às crianças criarem peças de roupas para bonecas de 30 cm. São mais de 15 roupinhas fashion para cortar, costurar ou colar, além da caixa de costura e manequim.

São dois lançamentos: linha festa, com vestidos longos, e kit para colorir (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: Linha musical da Barbie, que vem com teclado e bateria (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: Linha musical da Barbie, que vem com guitarra e microfone – em ambos é possível acoplar o celular para tocar as músicas que serão tocadas e cantadas (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: a linha Food Truck da Barbie vem com massinhas, forminhas para fazer as comidinhas, acessórios e os cenários para servir as guloseimas. As opções da linha são sucos divertidos, sorvetes, pizzas, doceria e comida japonesa (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: a linha Food Truck da Barbie vem com massinhas, forminhas para fazer as comidinhas, acessórios e os cenários para servir as guloseimas.

As opções da linha são sucos divertidos, sorvetes, pizzas, doceria e comida japonesa (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: a linha Food Truck da Barbie vem com massinhas, forminhas para fazer as comidinhas, acessórios e os cenários para servir as guloseimas. As opções da linha são sucos divertidos, sorvetes, pizzas, doceria e comida japonesa (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRUIBUIDOR: as pelúcias para pintar Littlest Pet Shop permitem ser customizadas com canetinhas e depois lavadas para voltarem ao estado original.

A brincadeira pode ser repetida quantas vezes quiser. (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: brinquedo Motor Radical inclui mais de 40 peças que a criança pode desmontar e montar com o auxílio de uma chave de fenda (Foto: Marta Cavallini/G1)BARÃO DISTRIBUIDOR: urso de pelúcia interativo e bilíngue Snow & Stella, que estimula o aprendizado dos idiomas português e inglês e detecta oito comandos diferentes por voz.

O brinquedo ainda promove interação entre os mundos virtual e real, por meio de apps para tablets e smartphones, com testes, brincadeiras e desenhos para colorir online (Foto: Marta Cavallini/G1)BIEMME: veículo Silverado, da Biemme, que anda até 4 km/h e comporta até 70 kg; brinquedo tem preço sugerido de quase R$ 4 mil e é o mais caro apresentado na feira. O carrinho é para crianças de 3 a 6 anos.

(Foto: Marta Cavallini/G1)COPAG: o jogo de cartas UNO agora contém uma carta em branco para o jogador personalizar e criar a regra que desejar, indicando uma condição especial ao jogo. (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: O Supremus Máximus retorna com estilo mais esportivo, controles com sete funções e velocidade que chega a 12 km/h.

(Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: Quebra-cabeça para adultos, Nas categorias 500, 1.000 e 2.

000 peças, com temática artística, que traz a banda Beatles e obras de arte assinadas por Tarsila do Amaral e Gustavo Rosa. (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: No Banco Imobiliário App, é possível fazer compras de terrenos ou leiloar o imóvel com cartão usando o celular como maquininha de cartão de crédito.

(Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: o Genius, clássico brinquedo que fez muito sucesso nos anos 80, não cai de moda e ainda tem a versão miniatura. (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: o Tsum Tsum traz releituras de personagens da Disney para serem agrupados.

Há versões Tsum Tsum do Mickey, Minnie, Pato Donald, Pooh – ao todo são 24 modelos de três diferentes tamanhos – disponíveis em pelúcia e figuras colecionáveis em vinil. (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: Susi Look Fashion traz a tradicional boneca com roupas de pessoas famosas e tem os nomes de Malu, Giuli, Vic, Dani e Mel.

(Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: Linha Faz de verdade traz as versões picolé e bala, que vem com todos os apetrechos necessários para as crianças brincarem e fazerem o que gostam de comer se divertindo (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: para aprender sobre os números, a Balança Divertida é a opção para as crianças em idade pré-escolar, que devem fazer a somatória ou a subtração para manter o equilíbrio entre os dois lados. (Foto: Marta Cavallini/G1)Estrela: todo articulado e com ventosas nas mãos e pés, o Stikbot é um boneco para protagonizar curtas metragens de ação ou comédia no Youtube.

Com um aplicativo, é possível captá-lo em fotos, montar cenas e produzir um vídeo em stopmotion, usando a versa (Foto: Marta Cavallini/G1)ESTRELA: o Molha Cuca é um capacete com recipiente com água e vários pinos, o objetivo é depender da sorte, puxa o pino certo, a água não escorre, puxa o pino errado, molha a cuca. (Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: Linha Play-Doh Town, com figuras personalizáveis e colecionáveis que trabalham juntas e constroem um mundo de faz de conta, assim, as crianças podem contar criar suas próprias histórias.

(Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: o Monopoly Ultimate vem com uma máquina automática que armazena e faz as transações da partida com apenas um toque. Todas as cartas têm leitura eletrônica.

(Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: A Máscara Eletrônica Kylo Ren muda a voz de quem a está vestindo, fazendo com que fique parecida com o principal vilão do filme ‘Star Wars: O Despertar da Força’. (Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: No BB-8 Star Wars, o carismático robô da saga Star Wars chega em versão movida por controle eletrônico, com características e funções inspiradas no droide original.

O boneco anda para frente e para trás através dos dois botões em seu controle remoto (Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: No Pie Face, é só colocar a cara no local indicado no brinquedo, que vem com suporte em formato de mão onde é inserido um creme de chantilly (não incluso). Há uma roleta que determina quantas vezes a alavanca deve ser girada.

O dispositivo é acion (Foto: Marta Cavallini/G1)HASBRO: o dragãozinho Torch é um bichinho de pelúcia que, de forma interativa, faz movimentos, emite luzes e sons e vem com acessório de marshmallow que troca de cor e solta um vapor. (Foto: Marta Cavallini/G1)SUNNY BRINQUEDOS: a Massaareia é uma massa de modelar em diferentes cores com textura de areia, fabricada na Suécia, que não deixa resíduos no ambiente e nem nas mãos, além de ser indicada como terapia sensorial.

(Foto: Marta Cavallini/G1)SUNNY BRINQUEDOS: os Bunchems são bolinhas pequenas e coloridas que se grudam e permitem criar as mais diversas formas e figuras. (Foto: Marta Cavallini/G1)SUNNY BRINQUEDOS: A Dory, personagem do filme Procurando Dory, um dos grandes lançamentos da Disney·Pixar previsto para junho, que repete em “baleiês” o que a criança fala para ela.

(Foto: Marta Cavallini/G1)SUNNY BRINQUEDOS: Na linha da Playmobil o destaque fica por conta das linhas Zoológico, Hospital e Super 4 (série animada do Playmobil exibida no canal Boomerang). (Foto: Marta Cavallini/G1)XALINGO: O Interactive Play traz dois dois novos jogos educativos que unem o físico e o digital, no Quebra-Cabeça Sombras e Colorindo e Desenhando.

Depois de colorir o desenho ou de montar o quebra-cabeça, a criança consegue capturar e projetar a imagem d (Foto: Marta Cavallini/G1)XALINGO: Baldes de praia da série super-heróis com Homem de Ferro e Capitão América. Cada balde tem o formato da máscara de um super-herói e possui garfo, colher e peneira.

(Foto: Marta Cavallini/G1)
.

Fonte: G1